MENU

Doações de sangue caem 30% em MS no período de frio, diz Hemosul

Doações de sangue caem 30% em MS no período de frio, diz Hemosul

Atualizado: Terça-feira, 21 Junho de 2011 as 10:42

Com a chegada do período de frio, o número de doações sempre diminui em Mato Grosso do Sul. Mesmo antes do inverno mais rigoroso, as doações caíram quase 30% no Hemosul em Campo Grande. Os tipos que mais faltam são também os menos comuns da população sul-mato-grossense, de acordo com o centro de hematologia. A universitária Tânia Izabel Flores diz que é a primeira vez que doa sangue. A nova experiência a fez descobrir a importância de ajudar ao próximo, sem dor ou preocupação. "Como eu passo aqui direto, pensei que hoje era um bom dia para fazer uma boa ação", afirma.

Cerca de 60% dos doadores do Hemosul são voluntários constantes e voltam ao posto de coleta a cada três meses. Apesar disso, faltam alguns tipos de sangue no estoque, como A positivo, B positivo e AB positivo. O centro de hematologia informa que para normalizar a situação são necessárias 150 bolsas para o tipo A, 50 para o B e 10 para o AB.

Com estoques em baixa, a preocupação cresce porque muitas pessoas aproveitam para viajar no período de férias escolares. Outro fator que também diminui o número de doadores é o frio. Nos dias mais quentes, a média é de 120 doadores por dia. Nos últimos dois meses, a média baixou para 85 voluntários.

A demanda é tanta que praticamente todas as bolsas de sangue colhidas são repassadas no mesmo dia para hospitais de Campo Grande e outras 22 cidades do interior do Estado. "Posso precisar de sangue amanhã, então doo voluntariamente. É prazeroso ajudar alguém", diz o promotor de vendas Daniel Moura.

Para o pintor Marco Lopes, que doa há quatro anos, a recompensa "Sabendo que alguém vai precisar e o tipo sanguíneo for o meu, vou estar feliz", afirma.          

veja também