MENU

Documentário revela histórias das maiores top models do Brasil

Documentário revela histórias das maiores top models do Brasil

Atualizado: Quinta-feira, 16 Junho de 2011 as 1:53

"O mais difícil foi ouvir que eu nunca conseguiria. Eu ia nos ‘castings', eles me olhavam e falavam assim: não. Eu me sentia machucada." O depoimento é de ninguém menos que Gisele Bündchen, a modelo mais bem paga do mundo, e está no documentário "Top models: Um conto de fadas brasileiro", que chega aos cinemas na próxima sexta (17).

Dirigido por Richard Luiz, o filme reúne depoimentos das 25 maiores modelos brasileiras com projeção no exterior, misturados a imagens de arquivo de diversos momentos da carreira delas, com narração da atriz Alice Braga.

Além de Gisele, participam Alessandra Ambrosio, Adriana Lima, Isabeli Fontana, Michelle Alves, Shirley Mallmann, Letícia Birkheuer, Ana Beatriz Barros e outras. Grandes nomes da moda, como o estilista Jean-Paul Gaultier e o fotógrafo Mario Testino, também falam sobre a ‘magia’ das brasileiras nas passarelas internacionais.

Gisele abriu caminho

"É uma colagem de imagens em que contamos um pouco da vida dessas mulheres, como elas chegaram lá", diz o cineasta, em entrevista ao G1. Ele  lembra que o maior desafio do projeto foi conseguir espaço na agenda dessas modelos tão requisitadas. "O maior luxo foi conseguir uma hora e meia de Gisele, só para mim, só para a minha câmera", conta Richard. "Não podia ser algo corrido, ela tinha que estar à vontade para falar sobre tudo, contar todos os detalhes."

Mas, afinal, o que Gisele tem de tão especial para ter conquistado seu posto? "É ela quem marcou a volta das curvas e da saúde, uma grande mudança estética na moda, deixando para trás aquela imagem ultramagra, com cara de drogada", explica o diretor. "E Gisele abriu caminho para todas as modelos brasileiras. Não deu outra: elas reinaram", acrescenta.

"Foi muito importante, porque eu fui a marca desse tempo", diz Bündchen no documentário, ao recordar o início de seu sucesso, no fim dos anos 1990.

De 'new faces' a top models

O filme, cuja ideia nasceu em 2005 a partir da produção de um calendário comemorativo da São Paulo Fashion Week, também acompanha o dia a dia de modelos novatas, as "new faces", fazendo um paralelo com as histórias de vida das top models.

O diretor exibe imagens dos primeiros trabalhos dessas grandes modelos, nas passarelas e nos estúdios, enquanto elas lembram do difícil começo: o sonho, os testes, a adolescência perdida, os tombos, as dificuldades de morar fora, longe da família.

"Em sua maioria, são meninas que vieram de cidades pequenas e, de repente, aos 15, 16 anos, tinham que se virar sozinhas no Japão, em Paris, em Nova York", explica Richard Luiz. No filme, a top Caroline Ribeiro, por exemplo, se emociona ao recordar o início de sua trajetória: "Quando você é nova, é tratada como um bicho: pegam no seu rosto e dizem que você é feia, sem se importar com os seus sentimentos".

Porém, não basta chegar ao topo, é preciso manter sua posição. Para Richard Luiz, esse é outro ponto em comum entre essas 25 estrelas da moda: elas conseguiram se reinventar ao longo dos anos para continuar em evidência, mesmo em uma carreira que tende a terminar cedo. "A carreira de nenhuma delas parou, mesmo com a idade e filhos, elas continuam brilhando", afirma o cineasta. "Isso acontece porque elas não são só bonitas, são muito profissionais e inteligentes. Tem gente que tem preconceito, que acha que modelos são meninas burrinhas. Quero mostrar que isso acabou", completa.

Por: Carla Meneghini

veja também