MENU

Dona de bar encontra ladrão entalado na churrasqueira

Dona de bar encontra ladrão entalado na churrasqueira

Atualizado: Terça-feira, 23 Fevereiro de 2010 as 12

A comerciante Cleia Simone Belberi Baldonedo, de 52 anos, já teve o bar assaltado quatro vezes e o local foi furtado em outras duas ocasiões, mas nunca imaginou que na sétima tentativa de assalto o ladrão ficaria entalado na churrasqueira. "Levei um susto, não acreditei que ele pudesse estar lá dentro", disse ela ao relatar o momento em que abriu a porta do bar e viu os pés do suspeito já perto da grelha da churrasqueira na madrugada desta terça-feira (23).

A comerciante, que mora ao lado do bar com uma filha de 9 anos e o marido no bairro do Imirim, na Zona Norte de São Paulo, conta que por volta das 23h saiu de casa para levar a filha ao pronto-socorro, pois a menina havia machucado o dedo no ventilador. Ao abrir o portão da casa, ela viu um homem suspeito circulando pela rua e chamou a polícia. "Fiquei com medo que ele tentasse invadir minha casa. Quando a polícia chegou, deu uma olhada na rua, mas o homem havia fugido", contou ela. 

No momento em que ficou no hospital, o suspeito voltou e tentou invadir o bar pela chaminé da churrasqueira. Ele ficou preso e começou a gritar pedindo ajuda. Uma vizinha do bar ouviu os apelos e chamou a polícia.

"Ele dizia 'socorro, me ajuda, estou com a perna machucada'", contou a dona de casa Neuma Barreto de Araújo, de 48 anos. Ela disse ter pensado que se tratava de um assassinato num bananal que fica atrás de sua casa. "Tudo eu já vi nessa rua, mas nunca imaginei um ladrão na churrasqueira", disse a vizinha.

Várias equipes da polícia foram até o local e começaram a procurar o suspeito. Quando a comerciante voltou com a filha do hospital tomou um susto ao ver os carros de polícia e os vizinhos amontoados em frente ao bar. "Pensei que tinha acontecido alguma coisa com meu marido, mas entrei em casa e ele estava dormindo", contou Cleia, que foi quem abriu a porta do bar para a PM entrar no local e encontrar o suspeito. Os bombeiros foram chamados para retirar o homem que estava entalado. Foi preciso quebrar toda a chaminé.

Em meio a confusão, o marido de Cleia, Benedito Baldonedo, de 53 anos, contou ter acordado com os gritos do suspeito. "Comecei a ouvir um barulho, uma pessoa dizendo que estava na churrasqueira e imaginei logo que era a minha", contou ele, que calcula em R$ 2,5 mil o prejuízo para consertar a estrutura.

O casal diz que agora pretende colocar uma grade na chaminé para evitar que outros criminosos tentem a mesma coisa. Eles dizem temer assaltos, mas afirmam que não podem desistir do bar, pois é o sustento da família há 22 anos.

veja também