MENU

Dona de bolsa encontrada em escombros é reconhecida por família

Corpo de jovem que sumiu no MSN é achado

Atualizado: Sexta-feira, 27 Janeiro de 2012 as 2:40

A família de Alessandra Alves Lima, de 29 anos, que estava desaparecida após osdesabamentos dos três prédios no Centro do Rio de janeiro, na noite de quarta-feira (25), reconheceu seu corpo nesta sexta-feira (27), no Instituto Médico Legal (IML).


Mais cedo, os bombeiros encontraram nos escombros uma bolsa com documentos dela. Na carteira de Alessandra, havia dinheiro e fotos. Ela era funcionária de uma empresa de informática que funcionava em um dos prédios.


Já chega a nove o número de corpos resgatados dos escombros dos prédios. Cinco já foram reconhecidos. Além da Alessandra, de acordo com a Polícia Civil, já foram identificados os corpos de Celso Renato Braga Cabral, de 46 anos, Margarida Vieira de Carvalho, de 65, Nilson de Assunção Ferreira, de 50 anos, e Cornélio Ribeiro Lopes, de 73.


'Ela não se despediu'
Na noite do desabamento, o marido de Alessandra, Victor Lima, chorava em busca de notícias da mulher. Ele falava com ela pelo computador quando a comunicação cessou. Quando soube do desabamento, Victor correu para o local em busca de notícias.

“Eu estava com ela no MSN aí caiu, liguei ninguém atendia, não consegui mais falar, ela não tinha saído, ela não se despediu, não falou nada, estou desesperado, preciso saber se ela está lá ainda," falava desesperado perto dos escombros.
O desabamento ocorreu por volta das 20h30 de quarta. Um prédio de 20 andares, outro de 10 e um imóvel de cinco pavimentos ficaram em ruínas. O trânsito no entorno do local do acidentepermanece interditado.


Buscas
No primeiro dia de buscas, cinco corpos foram resgatados. Nesta sexta-feira, quatro foram encontrados, sendo que o primeiro foi achado pelas equipes ainda durante a madrugada. As equipes têm expectativa de encontrar os escombros do andar onde um grupo tinha aula no prédio de 20 andares.

O acidente deixou seis feridos. De acordo com a Secretaria municipal de Saúde, o quadro mais grave é o da única pessoa que segue internada. Ela é uma mulher que teve lesão no couro cabeludo, passou por cirurgia e foi transferida para um hospital particular.


veja também