MENU

Dona Lily Marinho será enterrada nesta quinta-feira no Rio

Dona Lily Marinho será enterrada nesta quinta-feira no Rio

Atualizado: Quinta-feira, 6 Janeiro de 2011 as 8:51

O velório de Dona Lily Marinho, viúva de Roberto Marinho, fundador das Organizações Globo, será às 9h desta quinta-feira (6), no Cemitério São João Batista, em Botafogo, Zona Sul do Rio. O enterro será às 12h no mesmo local, segundo informaçãoes da Central Globo de Comunicação (CGCOM).

Dona Lily morreu às 20h05 de quarta-feira (5), aos 89 anos, de falência múltipla dos órgãos. Ela estava internada na Clínica São Vicente, na Gávea, também Zona Sul, desde o dia 13 de dezembro, com infecção respiratória. Duas semanas atrás, Dona Lily havia sido transferida para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da clínica.

Filha de uma francesa e de um inglês, Lily Monique de Carvalho Marinho nasceu em Colônia, na Alemanha, mas foi criada na França. Foi em Paris que conheceu o primeiro marido, o empresário Horácio de Carvalho. Teve um filho, Horacinho, que morreu num acidente de automóvel, aos 26 anos de idade. Tempos depois, adotou um menino, que lhe deu quatro netos.

Dona Lily e Roberto Marinho se conheceram em 1941. Quase cinquenta anos mais tarde, quando a reencontrou, já viúva, Doutor Roberto se lembrava de como ela estava vestida quando se encontraram pela primeira vez. Eles se casaram em setembro de 1991. Roberto Marinho tinha 86 anos, e Lily, 70.

Com Doutor Roberto, Dona Lily ajudou a trazer pela primeira vez ao Brasil grandes exposições de artistas franceses, como Monet e Rodin. Pelo apoio e pela promoção da cultura, Dona Lily foi condecorada pelo governo da França com a Legião de Honra e homenageada pelo Ministério da Cultura do Brasil. Dona Lily é também Embaixadora da Boa Vontade da Unesco, o braço da ONU para educação e cultura.

Vincent Defourny, representante da Unesco no Brasil, divulgou nota na qual diz que "expressa seu profundo pesar pelo falecimento de D. Lily Marinho". A nota acrescenta: "D. Lily teve relevante papel no incentivo à cultura e apoiou projetos sociais voltados aos menos favorecidos".

Em nota, a presidente Dilma Rousseff lamentou a morte de Dona Lily e elogiou a dedicação dela aos mais necessitados.

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, destacou que Dona Lily "marcou sua trajetória pela elegância no viver e no amor à arte".

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, afirmou que a "solidariedade e dedicação" dela "servem de inspiração e orgulho".

veja também