MENU

Dono de bufê onde mulher morreu diz que brinquedo não funcionará mais

Dono de bufê onde mulher morreu diz que brinquedo não funcionará mais

Atualizado: Terça-feira, 19 Julho de 2011 as 11:37

Mulher morreu após mini-montanha-russa de bufê apresentar problemas (Foto: Paulo Toledo Piza/G1)

  O proprietário do bufê onde uma mulher morreu após cair de uma mini-montanha-russa no Tatuapé, Zona Leste de São Paulo, afirmou nesta terça-feira (19) que o brinquedo não irá ser mais utilizado. O acidente ocorreu na noite de domingo (17), durante uma festa infantil.     Por volta das 23h daquele dia, a advogada Vanessa Néspoli, de 30 anos, se divertia com o marido quando um dos dois carrinhos do brinquedo se soltou, fazendo com que ambos caíssem de uma altura de cerca de cinco metros.

A mulher foi socorrida e encaminhada a um hospital no mesmo bairro, onde já chegou morta. Seu marido, porém, sofreu apenas ferimentos leves. “Espero que o brinquedo nunca mais funcione”, afirmou Rodrigo Saraiva, dono do bufê Aquarela Kids.

O empresário disse ao G1 que considera o acidente uma fatalidade, pois, segundo ele, o equipamento passava constantemente por manutenção e nunca apresentou problemas. Saraiva acrescentou que procura a família da vítima para auxiliá-la no que for possível. “Eu ainda não sei o que vai acontecer, quando voltará a abrir [o bufê]”, afirmou, com a voz embargada.

Horas após o acidente, peritos vistoriaram o local do acidente. Segundo policiais do 30º Distrito Policial, no Tatuapé, onde o caso foi registrado, o laudo deve apontar se o peso dos passageiros ultrapassou o limite recomendado, se o equipamento realmente passou por manutenção e se todos os procedimentos de segurança foram adotados.

Enterro

O corpo da advogada foi liberado pelo Instituto Médico Legal (IML) na segunda-feira (18) e levado para Cuiabá, capital mato-grossense onde vive sua família. Amigos e familiares de Vanessa se reuniram para se despedir da vítima. O corpo foi enterrado no final da tarde desta segunda no cemitério Parque Bom Jesus, em Cuiabá.

Vanessa estava em São Paulo havia dois anos, onde cursava MBA. O G1 tentou contato com seus parentes, mas ninguém foi encontrado.            

veja também