MENU

Dono procura novo lar para cão paraplégico que usa andador em MT

Dono procura novo lar para cão paraplégico que usa andador em MT

Atualizado: Quarta-feira, 6 Julho de 2011 as 12:21

Filhote nasceu com paraplegia e não locomove patas

traseiras (Foto: Arquivo pessoal)     Um filhote de pastor alemão, nascido em março deste ano com paraplegia, o que impossibilita o movimento das patas traseiras, está à procura de um novo lar. Hoje, Pitoco, como é chamado, se locomove com uma espécie de andador fabricado manualmente com canos em PVC pelo atual dono, Marco Aurélio Roewer, que mora em uma chácara próxima a Cuiabá.

O proprietário argumenta que o animal é dócil e saudável, mas que precisa de extremo cuidado e dedicação.  "Ele (Pitoco) quer brincar com os outros cachorros e tenho medo de que acabe se machucando. Trabalho o dia todo e o grande problema é a falta de tempo para a dedicação que ele requer", afirmou Marco Aurélio, que já tem outros três cães em idade adulta.

A deficiência de Pitoco foi descoberta, conforme Marco Aurélio, quando ele tinha cerca de um mês, pois não andava e só se arrastava. Ele então passou por exames de radiografia para tentar identificar exatamente o problema que o impedia de andar. Porém, nenhum deles apontou um diagnóstico preciso, de acordo com o dono.

Antes de criar o andador, surgiu a ideia de adquirir uma cadeira de rodas especial, feita em alumínio. Um médico veterinário, entretanto, orientou Marco Aurélio a não investir no equipamento, pois o animal iria crescer e até que chegasse à idade adulta seriam necessárias várias cadeiras.

"Comecei a pesquisar na internet e vi que, em São Paulo, a dona de um animal em situação semelhante construiu um andador de PVC", contou o dono, que reproduziu o projeto em seguida. Com exceção do problema nas patas traseiras, o responsável assegura que o filhote é sadio e se alimenta com rações comuns, como qualquer outro cão.

A expectativa de Marco Aurélio é conseguir um novo lar para o cão, com um dono que possa dar a atenção que Pitoco necessita. Interessados podem entrar em contato com Marco Aurélio por e-mail.          

veja também