MENU

'É sofrimento demais', diz prima de desaparecida em desabamento no RJ

Família diz que é sofrimento de mais esperar

Atualizado: Terça-feira, 31 Janeiro de 2012 as 3:33

A família de Yokania Bastone, desaparecida no desabamento dos três prédios no Centro do Rio de Janeiro, espera pela identificação do corpo. De acordo com a prima dela, Paula Bastone, que mora em São João Del Rei, Região Central de Minas Gerais, a mulher de 34 anos estava em um curso no prédio de 20 andares. “É sofrimento demais. O que a gente quer é ter a dignidade de dar um enterro pra ela”, resumiu a prima.
A mãe e uma tia de Yokania, mãe de Paula, estão no Rio de Janeiro para acompanhar as buscas e o trabalho de identificação dos corpos. A mãe já forneceu material genético para o exame de DNA. “Eles disseram que, no mínimo, 15 dias para sair o resultado. Isso é um absurdo com a gente e com as outras famílias que têm desaparecidos”, disse Paula. “Eles não dão informação nenhuma. Agora, a gente está desesperado”, completou.
Paula conta que ela e Yokania foram criadas juntas. As mães das duas são irmãs. “Ela mandou rezar uma missa linda no aniversário de 60 anos da mãe dela, e leu um texto lindo”, disse, emocionada. “Ela passou a vida inteira alegre, feliz, contagiando todo mundo com a alegria dela”, descreveu a prima.


Paula pede que as autoridades sejam mais ágeis na identificação dos corpos. “As autoridades têm que tomar providências junto ao IML para o que o resultado saia o mais rápido possível. Enquanto não achar o corpo, por mais que a gente saiba que não á previsão de achá-la, é um sofrimento. A sensação é que, a qualquer momento, ela vai aparecer e ela vai falar que é pegadinha, uma brincadeira”, desabafa.

Dois corpos identificados
Mais dois corpos de vítimas do desabamento de três prédios no Centro do Rio foram identificados, informou na manhã desta terça-feira (31) a assessoria da secretaria de Polícia Civil. Os corpos identificados são de Daniel de Souza Jorge Amaral, que segundo a família teria 26 anos, e Miriene Lopes dos Santos, de 66 anos. Com isso sobe para 15 o número de corpos identificados. Outras duas vítimas permanecem no IML aguardando o reconhecimento. Veja a lista dos identificados.
Segundo a polícia, os corpos de Daniel e Miriene foram identificados na noite de segunda-feira (30) e já foram liberados pelo Institito Médico Legal (IML) para que as famílias possam providenciar os sepultamentos.


Exames de DNA
Familiares de desaparecidos no desabamento foram, na manhã da segunda-feira (30), ao Instituto de Pesquisa e Perícias em Genética Forense, da Polícia Civil, fazer exames de DNA que poderão ajudar na identificação dos corpos resgatados nos escombros que ainda não foram reconhecidos.

A informação é a Secretaria Municipal de Assistência Social, que continua mantendo um ponto de apoio a essas famílias na Câmara dos Vereadores, no Centro, próximo ao local da explosão. Os familiares seguem no local à espera de informações sobre os desaparecidos.


Na Câmara dos Vereadores, há, segundo a secretaria, médicos, assistentes sociais e psicólogos para dar apoio às famílias. Na manhã desta terça-feira (31), haverá um ato ecumênico na Câmara, reunindo as famílias e as equipes de apoio.


veja também