'Ela está viva no coração da gente', diz pai de vendedora assassinada

'Ela está viva no coração da gente', diz pai de vendedora assassinada

Atualizado: Segunda-feira, 14 Fevereiro de 2011 as 3:52

Em um clima de muita comoção, parentes e amigos se reuniram desde o início da tarde desta segunda-feira (14) em Barueri, na Grande São Paulo, para o velório da supervisora de vendas Vanessa de Vasconcelos Duarte, de 25 anos. Fotos da moça foram colocadas em cima do caixão, que está lacrado. O enterro deve acontecer às 17h desta segunda.

O pai da moça, Mariano Duarte Leite, de 56 anos, disse que a filha segue viva no coração dos familiares e amigos. “Com certeza ela está viva no coração da gente. Morto está esse indivíduo que praticou esse crime bárbaro. Peço que Deus dê muita vida para ele pagar pelo que fez”, afirmou Leite, que estava fora de São Paulo quando soube do desaparecimento da filha, no sábado (12).

“É um impacto violento. Quando você recebe uma notícia assim, você não espera nada de bom”, contou o pai, que foi um dos poucos a conversar com a imprensa. A supervisora de vendas desapareceu depois de deixar a casa do noivo, em Barueri, na manhã de sábado. O carro que Vanessa dirigia foi encontrado ainda no sábado em Vargem Grande Paulista, na Grande São Paulo. O corpo dela foi localizado no domingo (13) no mesmo município.     Ela planejava se encontrar com amigas, em Carapicuíba, para ir até um curso de automaquiagem em São Paulo. “Nós marcamos em um posto às 9h20. Como ela não apareceu, nós começamos a ligar para o celular dela e só dava caixa postal. Pensamos que ela estava dormindo ou tinha desistido do curso”, disse uma colega de 22 anos, que não quis se identificar.

A colega de Vanessa contou ainda ao G1 que a moça entraria de férias nesta segunda-feira. “Nos últimos tempos ela falava muito sobre os preparativos do casamento: bufê, coral. Ela estava bastante empolgada”, disse.

Muito abalado, o noivo de Vanessa, Luiz Vanderlei de Oliveira, de 34 anos, não quis conversar com a imprensa. Enquanto aguardava a liberação do corpo no Instituto Médico-Legal (IML) de Cotia, na Grande São Paulo, ele disse que os dois já estajam juntos havia quatro anos e meio.    

veja também