Em carta, Quércia diz que desistência da candidatura foi 'decisão difícil'

Em carta, Quércia diz que desistência da candidatura foi 'decisão difícil'

Atualizado: Segunda-feira, 6 Setembro de 2010 as 3:08

O ex-governador de São Paulo Orestes Quércia (PMDB) afirmou nesta segunda-feira (6), por meio de carta, que a desistência da candidatura ao Senado por São Paulo foi uma decisão "difícil".

"Comunico com a dificuldade que é comunicar essa decisão, tomada em conjunto com minha mulher e meus filhos de renunciar à minha candidatura ao Senado. Entendo que essa atitude, nesse momento, apesar de difícil, é a mais correta a bem dos interesses da Coligação, do meu Partido, do meu estado e meu interesse em recuperar minha saúde", diz Quércia na carta

O motivo da desistência é o diagnóstico do retorno de um tumor de próstata que havia sido tratado há mais de 10 anos. Quércia está internado desde a última terça-feira (31) no Hospital Sírio Libanês, na capital paulista.

Na carta, Quércia pede apoio ao outro candidato a senador da chapa “Unidos por São Paulo”, Aloysio Nunes (PSDB). "Agora me afasto e me concentro no tratamento médico que me espera, de maneira a estar de volta, recuperado, em breve. E, ao me afastar, peço-lhe o apoio ao Aloysio Nunes Ferreira. Ele reúne todas as condições de representar São Paulo no Senado da República."

Pouco antes da divulgação da carta, a filha de Quércia, Andreia Quércia, afirmou, em coletiva de imprensa, que não houve recomendação médica para que o pai abandonasse a campanha. Segundo ela, foi uma "decisão de bom senso" da família. O ex-governador já fez uma das cinco sessões previstas de quimioterapia no hospital Sírio Libanês. Pesquisas

Na pesquisa Ibope divulgada no sábado (4) , Quércia apareceu na terceira colocação com 23% das  intenções de voto. Marta Suplicy (PT) estava em primeiro com 36%, seguida por Netinho (PC do B), com 26%. Como a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, Quércia e Netinho estavam tecnicamente empatados.

O senador Romeu Tuma (PTB), que tenta a reeleição, tinha 13% das intenções de voto e estava tecnicamente empatado om Aloysio Nunes (PSDB), que aparece com 12%. Nas eleições deste ano, os eleitores escolherão dois candidatos ao Senado para cada estado. "Companheiros de Partido e da Coligação Unidos por São Paulo, meus amigos:

Agradeço pelo apoio recebido, sobretudo nos últimos dias, quando me recolhi para a realização de exames médicos, e consequentemente me afastei da campanha nas ruas. Comunico com a dificuldade que é comunicar essa decisão, tomada em conjunto com minha mulher e meus filhos de renunciar à minha candidatura ao Senado. Entendo que essa atitude, nesse momento, apesar de difícil, é a mais correta a bem dos interesses da Coligação, do meu Partido, do meu estado e meu interesse em recuperar minha saúde.

Quero agradecer a cada um de vocês pela amizade, pelo companheirismo, pelo apoio e dedicação nessa caminhada empreendida na campanha. Quero agradecer o povo paulista e brasileiro pelo carinho e apoio, refletidos no resultado expressivo das últimas pesquisas. Por favor, receba meu abraço e meu muito obrigado.

Agora me afasto e me concentro no tratamento médico que me espera, de maneira a estar de volta, recuperado, em breve. E, ao me afastar, peço-lhe o apoio ao Aloysio Nunes Ferreira. Ele reúne todas as condições de representar São Paulo no Senado da República, pela sua história, seu compromisso com São Paulo e pela forma como ajudou o Governo José Serra a desenvolver seu trabalho.

Reitero todo o compromisso do nosso partido ao Geraldo Governador, Afif Vice e Serra Presidente.

Quero agradecer ainda meu amigo e prefeito Gilberto Kassab.

Forte abraço do companheiro.

Orestes Quércia"

Postado por: Thatiane de Souza

veja também