MENU

Em nota, MST diz que Itamar ajudou na luta pela reforma agrária

Em nota, MST diz que Itamar ajudou na luta pela reforma agrária

Atualizado: Segunda-feira, 4 Julho de 2011 as 3:26

A coordenação nacional do MST (Movimento dos Sem-terra) divulgou nesta segunda-feira (4) nota de pesar pela morte do senador e ex-presidente Itamar Franco. O movimento elogiou o compromisso dele pela reforma agrária, além do seu “afeto, respeito e admiração” pelo MST, como manifestou em carta em 2007.

De acordo com o movimento, ele foi o primeiro presidente da República a recebê-lo no Palácio do Planalto – fato que lhe dava orgulho.

"Orgulho-me de nunca ter cumprido nenhuma liminar de reintegração de posse [quando governador de Minas Gerais]", disse Itamar Franco, em carta ao 5º Congresso do MST em 2007.

Itamar completou 81 anos no último dia 28 de junho. Ele assumiu a Presidência após a renúncia de Fernando Collor de Mello e governou o Estado de Minas Gerais entre 1999 e 2003.

O ex-presidente morreu no último sábado (2) no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, onde estava internado desde o dia 21 de maio, após ser diagnosticado com leucemia. Ele chegou a ter pneumonia durante o tratamento. Após ter um AVC (acidente vascular cerebral), entrou em coma e não resistiu.

Abaixo, leia a carta do integrante da Coordenação Nacional do MST João Pedro Stedile à família e amigos de ex-presidente Itamar Franco.

“Carta do MST à família de Itamar Franco

Estimados familiares do nosso querido Itamar Franco,

Confira também

BH: começa velório do ex-presidente

Corpo de Itamar chega a BH

Infelizmente, a vida tem seu ciclo natural e perdemos nosso querido Itamar.

Em nome do MST, manifestamos nossos pesares. Nossa base tem um carinho especial por Itamar Franco.

Mais do que um homem público irretocável, comprometido com a causa pública, com o povo brasileiro, ele sempre nos atendeu com carinho e amizade.

Tinha uma sensibilidade social enorme e sempre nos apoiou, mesmo nas batalhas mais duras, enfrentando enormes interesses na questão da Reforma Agrária.

Sentiremos muito sua falta, mas temos nele sempre um exemplo de homem público, de ser humano solidário e humilde.

veja também