MENU

Em São Paulo, mais um ônibus é incendiado na Zona Leste

Em São Paulo, mais um ônibus é incendiado na Zona Leste

Atualizado: Quinta-feira, 30 Janeiro de 2014 as 6

onibus queimado
Um grupo de homens atacou e incendiou um ônibus no Jardim Gianetti, em São Miguel Paulista, na noite desta quarta-feira (29), segundo a Polícia Militar. O ataque ocorreu na Rua Guabiroba de Minas.
Segundo a PM, ninguém ficou ferido e os suspeitos fugiram. O motivo do ato de vandalismo também não foi informado. A ocorrência será registrado no 68º distrito policial.
Com mais este, chega a 33 o número de ônibus municipais queimados na capital. Desde o dia 1º de janeiro até as 17h45 desta quarta-feira, a SPTrans já havia registrado 32 ônibus incendiados e 66 depredados em diferentes distritos. A média é de mais de um ônibus incendiado por dia, conforme o levantamento.
 
Medidas urgentes
O Ministério Público de São Paulo quer que as autoridades adotem medidas urgentes para restabelecer a circulação de ônibus nos locais onde foram registrados ataques, informou o SPTV nesta quarta-feira (29) . A Secretaria da Segurança Pública disse que vai reforçar o policiamento com batalhões de choque, entre eles, a Rota.
O promotor Saad Mazloum, que é autor de um inquérito civil que investiga a qualidade do sistema de transporte público, vai intimar representantes das empresas de ônibus, a São Paulo Transportes (SPTrans) e os comandantes de área da Polícia Militar das regiões onde houve os ataques.
 
“Nós queremos garantir um direito constitucional do cidadão de se movimentar pela cidade através de transporte coletivo, um transporte seguro e eficiente”, enfatizou.
De acordo com a SPTrans, o problema atinge os passageiros dos bairros Jardim João XXIII e Jardim Educandário, na Zona Oeste, e Jardim Ângela, na Zona Sul. Com medo de novos ataques, os ônibus não estão fazendo o itinerário completo.
 
O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, afirmou nesta quarta-feira (29) que a situação é preocupante porque as empresas alegam não ter segurança para circular. Haddad disse que pediu reforço policial para o governo do Estado. "A preocupação é enorme em relação à segurança das pessoas", afirmou.
Dois batalhões de choque foram destacados para garantir a segurança nos bairros onde os ônibus foram atacados. Um deles é o que faz o policiamento nos jogos de futebol. O outro é a Rota. O secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, garantiu que, com o reforço policial, os ônibus conseguirão circular. "O comandante geral da PM já está tomando as providências para que não haja problemas. Os ônibus vão chegar até os seus destinos."
 
Linhas afetadas
De acordo com a SPTrans, até as 17h45 desta quarta-feira ao menos três linhas não estavam operando ou funcionavam parcialmente no Jardim Ângela, sob a alegação de falta de segurança. São elas:
- 6014/10 Terminal Rod. Jardim Jacira – Terminal Santo Amaro
- 6840/10 Terminal Rod. Jardim Jacira – Terminal Capelinha
- 7004/10 Terminal Rod. Jardim Jacira – Estação Santo Amaro/Guido Caloi
Além disso, duas linhas estavam operando parcialmente, retornando antes da parada final:
- 7005/10 Jd. Vera Cruz – Jd Ângela (circular)
- 7006/10 Jd. Horizonte Azul – Jd. Ângela (circular)
 
Ao todo, 120 mil passageiros foram prejudicados nesta quarta-feira, de acordo com balanço da SPTrans que reiterou “estar mobilizada no sentido de garantir o direito e o acesso ao transporte público a todos os paulistanos usuários do sistema”.
 
Levantamento
Nesta quarta-feira, um ônibus foi incendiado na Estrada do M'Boi Mirim, na Zona Sul de São Paulo. Foi o quarto ônibus atacado nesta região em apenas dois dias. Na noite de terça-feira (28), outro coletivo também foi queimado em Cidade Kemel, no extremo da Zona Leste.
Desde o dia 1º de janeiro até as 17h45 desta quarta-feira, a SPTrans havia registrado 32 ônibus incendiados e 66 depredados em diferentes distritos. A média é de mais de um ônibus incendiado por dia.
 
O número já superou todo 1º semestre do ano passado, quando foram registrados 21 ônibus queimados na capital paulista. Outros 26 ônibus intermunicipais foram atacados e destruídos na região metropolitana de São Paulo em janeiro, de acordo com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU).
Os problemas se acentuaram na segunda-feira (27), quando 12 linhas de concessionárias e permissionárias recolheram suas frotas nas garagens durante parte do dia na região do Jardim Ângela, cortada pela Estrada do M'Boi Mirim. Entre o final de semana e terça-feira, cerca de 200 mil passageiros foram prejudicados nas zonas Oeste e Sul da cidade, em decorrência de suspensão de operação e encurtamento de itinerários, registrados em 22 linhas das 1.264 que compõem o sistema.
 

veja também