MENU

Em troca de apoio, Alckmin oferece cargos ao PMDB

Em troca de apoio, Alckmin oferece cargos ao PMDB

Atualizado: Quinta-feira, 3 Março de 2011 as 9:36

Em plena disputa com o prefeito Gilberto Kassab (DEM) por espaço político de São Paulo, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) ofereceu ao PMDB participação em seu governo em troca de apoio na Assembleia Legislativa de São Paulo.

O chefe da Casa Civil, Sidney Beraldo, formalizará uma proposta ao partido até o dia 15. A ideia é que o PMDB ocupe cargos do segundo escalão, como delegacias regionais de agricultura.

A negociação com o PMDB foi abortada no fim do ano passado, quando Kassab costurava sua filiação ao partido. Foi reativada depois de o prefeito mostrar a intenção de criar uma nova sigla para futuramente se filiar ao PSB.

Além disso, na semana passada o prefeito demitiu quatro integrantes do diretório paulistano do PMDB que trabalham na prefeitura, desgastando ainda mais sua relação com o PMDB.

Pela estratégia, Kassab fundará um partido (o PDB) para sair do DEM sem que seus aliados corram o risco de perda de mandato. Segundo a lei, um político perde o mandato caso troque de partido. Mas fica livre dessa punição em algumas hipóteses, como criação de uma legenda ou fusão com outra.

Os fundadores do PDB, por exemplo, podem deixar suas siglas de origem sem ameaça de perda de mandato na Justiça Eleitoral.

MAL-ESTAR

A revelação feita ontem pela Folha de que Alckmin encomendou, via PSDB, uma pesquisa sobre a sucessão à Prefeitura de São Paulo levou desconforto para o Palácio dos Bandeirantes, especialmente para seu vice, Guilherme Afif Domingos.

Na pesquisa, Afif é apresentado como adversário do governo na disputa.

Já não havia consenso no grupo político de Alckmin sobre a conveniência da pesquisa há apenas 50 dias do início de sua gestão.

E sua divulgação acabou por fragilizar as relações no governo. Apesar da dúvida, Alckmin decidiu pedir a pesquisa para avaliar a popularidade do governo Kassab.

Por Catia Seabra / Daniela Lima

veja também