MENU

Empresa do interior de SP importa tulipas holandesas

Empresa do interior de SP importa tulipas holandesas

Atualizado: Sexta-feira, 13 Maio de 2011 as 8:32

As tulipas, grande atração do Parque Keukenhof, na Holanda, também podem ser encontradas no Brasil. Uma empresa de Holambra, no interior de São Paulo, importa os bulbos das flores para produzi-las no estado. Eles ficam durante um ano em uma câmera fira, e depois durante seis meses são cultivados em estufas climatizadas para simular o clima da Holanda.

Por causa do tempo e do trabalho, elas ficam caras. Um vaso com a tulipa na terra custa em média R$ 15, e uma flor de corte pode custar de R$ 5 a R$ 20. Enquanto na Holanda elas chegam a durar um mês, no Brasil não passam de três a quatro dias.

Para conservá-las por mais tempo, é preciso deixá-las longe do sol. Colocar gelo na terra na hora de repor a água também ajuda, assim como colocá-las todas as noites na geladeira – com essas medidas, elas podem durar até sete dias.

Na Holanda, o clima é propício para as flores. Por isso, o país produz mais de mil variedades de tulipa. Até 20 de maio, quando encerra a temporada, 800 mil pessoas terão visitado Keukenhof, o parque mais fotografado da Europa. São 15 km de alamedas centenárias, muitos lagos e pontes, e quase 5 mil canteiros.

Os melhores produtores da Holanda presenteiam o parque todos os anos com mais de 7 milhões de flores de bulbos.

Outro espetáculo do Keukenhof são as árvores e arbustos coloridos. Como a Forsythia, que reflete em amarelo-ouro toda a alegria da chegada da primavera. A Magnólia, que existe há milhões de anos e é muito comum no parque. Há também muitas cerejeiras que dão um ar romântico à paisagem. E as fantásticas macieiras mais antigas, carregadas de branco em milhares de flores miúdas.     Os holandeses têm o hábito de podar as árvores frutíferas junto ao tronco. Isso faz os galhos brotarem para cima, em uma estranha beleza.

Lembranças

Para levar um pouco de Keukenhof para casa, seis lojas de presentes atraem os turistas, a começar pelos tamancos. Eles aparecem feitos de madeira, em pantufas para o inverno.

Há também belas fotos do Keukenhof, os moinhos de jardim, e para quem não pode levar tulipa fresca no avião, as de madeira são mania nacional. Diante da beleza do parque, o frio não deixa em casa nem bebês, nem vovós com os netos.

A cada temporada são oito exposições diferentes de flores nos pavilhões, como o Oranje Nassau. Na semana em que a reportagem visitou o parque o tema eram os crisântemos. Cada recanto tinha um conjunto de cores diferentes. As novidades se concentram nos tons verdes, que os produtores holandeses batizaram com nomes de princesas e rainhas. A cada hora, floristas famosos demonstram como fazer buquês. A platéia acompanha cada detalhe.

Outro grande pavilhão é o Willem Alexander, onde há uma exposição permanente de flores de bulbos e arbustos europeus, como a Syringa cheia de flores miúdas em branco, rosa, lilás e roxo.

Este pavilhão tem a mais impressionante coleção de tulipas do mundo, não só pela altura, que parece um roseiral, mas pelas formas e cores. O tapete tem preferencialmente tulipas raras crespas, como a Parrot, com 20 centímetros de diâmetro.

São seiscentas variedades de tulipas. Os turistas, em especial os orientais, clicam sem parar registrando todas as novidades. Entre os destaques estão a Sugar Love, em rosa algodão doce, a Candy Prince lilás, amassada como um tecido encorpado e a top parrot, ondulada em vermelho vivo.

Série de reportagens

A repórter Ananda Apple produziu uma série de reportagens sobre as flores da Holanda, que será exibida durante nove sextas-feiras no "Quadro Verde", do Bom Dia São Paulo.          

veja também