MENU

Empresa que administra bonde de Santa Teresa é ligada a governo do RJ

Empresa que administra bonde de Santa Teresa é ligada a governo do RJ

Atualizado: Segunda-feira, 29 Agosto de 2011 as 11:43

A empresa que administra o bonde de Santa Teresa – que no sábado (27) descarrilou e tombou, deixando 5 mortos e mais de 50 feridos – é ligada ao governo do estado do Rio. A Central (Companhia estadual de Engenharia de Transporte e Logística) é um órgão da Secretaria estadual de Transportes, que também é responsável pela fiscalização dessa empresa pública. A informação é da assessoria da Secretaria estadual de Transportes.

Feridos seguem internados

Até a manhã desta segunda-feira (29), seis vítimas do acidente permaneciam internadas em hospitais da rede municipal. O caso mais grave é o de um menino de 3 anos, internado no CTI pediátrico do Hospital Souza Aguiar, que está em observação.

Outros feridos foram transferidos para hospitais particulares. Três pessoas seguem internadas no Hospital São Lucas, em Copacabana, na Zona Sul do Rio. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, o francês Arnold Darradein, de 28 anos, está com fraturas na bacia e na perna, além de escoriações. Já Daniele Abreu, de 30, tem fraturas na face, na bacia e com uma lesão cervical. Gisely Moretis, de 23 anos, fraturou a mão direita e tem escoriações.

Além desses, ainda não há informações sobre outras vítimas na rede particular.

Nota do governo

Na tarde de domingo (28), um dia após o acidente com o bonde de Santa Teresa, o governo do estado do Rio divulgou uma nota em que o governador Sérgio Cabral determina que "o transporte por bondes no bairro fique interrompido e que a Secretaria de Transportes conduza um plano de modernizaçao dos bondes". Cabral "lamenta profundamente o acidente ocorrido com o bonde de Santa Teresa" e "se solidariza com as famílias das vítimas, que estão tendo toda a assistência do estado".

 A nota diz ainda que "a atenção e a preocupação do estado com os bondes – ação delegada à responsabilidade direta da Secretaria de Transportes – são constantes".

Vistoria: bonde tinha arame no lugar de parafuso

Após uma vistoria no local onde o bonde descarrilou e tombou, o coordenador da Comissão de Análise e Prevenção de Acidentes do Crea-RJ, Luiz Antonio Cosenza, afirmou ao G1 acreditar que uma possível falha no sistema de freios pode ter causado o acidente.

"Me pareceu que realmente o freio foi acionado, mas quando isso acontece, o bonde fica travado, teriam marcas de frenagem nos trilhos, no solo. Mas não notei essas marcas durante a perícia", disse o engenheiro. "Acredito numa possível falha no sistema de freio do bonde. Uma das hipóteses mais fortes é de falta de freio, por escapamento de ar".

Ainda segundo o representante do Crea-RJ, foi constatado que o bonde usava arame em vez de parafuso para prender uma peça da sapata do freio. "Não deveria ter arame de forma nenhuma, mas não acredito que isso tenha sido a causa do acidente", disse ao G1 . "Mas isso mostra o grau de degradação do sistema de bondes no Rio de Janeiro".

O especialista afirmou ainda que o Crea-RJ vai convocar os responsáveis pela manutenção do bonde de Santa Teresa para prestar esclarecimentos. E acredita ainda que a suposta superlotação denunciada por testemunhas possa ter contribuído para o acidente. "A superlotação pode ter contribuído, sim, para esse descarrilamento".

Três das cinco vítimas são enterradas

Os corpos de três vítimas do acidente foram enterrados neste domingo . O condutor do veículo está entre os mortos . O corpo de uma mulher que também morreu no acidente será transportado para o Rio Grande do Sul, onde será enterrado. O corpo da outra vítima está no IML e aguarda liberação da família.

Outros acidentes

No fim de junho, um turista francês morreu após despencar de um bonde que passava sobre os arcos da Lapa, na região Central do Rio. De acordo com o comandante, o jovem francês teria se desequibilibrado ao tentar tirar uma foto. A grade de segurança dos arcos não resistiu ao peso do turista e ele caiu de uma altura de 15 metros, morrendo na hora.

Em 2009, a professora Andreia de Jesus Resende, de 29 anos, foi atropelada após um acidente com um bonde que perdeu o freio numa ladeira de Santa Teresa. No acidente, o bonde foi atingido por um táxi e perdeu o freio. Ao deixar o bonde em pânico, a professora foi atropelada por um ônibus.          

veja também