MENU

Empresários apostam em inovação para gerar novos negócios em MS

Empresários apostam em inovação para gerar novos negócios em MS

Atualizado: Sexta-feira, 30 Setembro de 2011 as 11:24

O paulista Paulo Sérgio Randonfo, conhecido na central de abastecimento de Campo Grande como Galego, recebe melancias e outras frutas de várias regiões do país para revender na cidade. No início ele aproveitava frutas que eram descartada por outros comerciantes, como melancias. O negócio se desenvolveu e hoje ele é um dos maiores vendedores de melancia no estado.

Por meio da inovação, Galego quis se destacar no mercado. Este ano, ele inaugurou um site para facilitar as vendas. "É uma forma muito importante de a gente divulgar os produtos, levar o nosso interesse de poder atender bem os clientes e quem quer nos fornecer", diz o empresário.   De acordo com o Sebrae, quem pretende levar vantagem sobre a concorrência precisa ficar atento a três tipos de inovação: do produto, com mudanças diretas na forma do item a ser comercializado; do processo, visando aumento de produtividade e redução de custos; e do modelo de negócio, na maneira como o produto é oferecido ao mercado.

A analista Andrea Fialho explica que toda inovação deve causar algum impacto. Mas antes de arriscar, é preciso primeiro fazer vários testes para chegar ao resultado final. "Inovar é conhecer o seu negócio, então o empresário precisa estudar para que ele possa propor mudança, produtos novos ou melhorados. É algo personalizado", comenta.

O empresário Adalton Bernardo está conseguindo aos poucos popularizar uma fruta típica do cerrado, a guavira. Para isso, ele teve de apostar também no açaí. Como o creme de guavira não estava dando lucro, a solução foi produzir ao mesmo tempo o creme de açaí, que tem mais aceitação do público.

O empreendedor produz também cremes de goiaba, maracujá, amora e tamarindo. A matéria-prima e os ingredientes básicos são facilmente encontrados no estado. "A guavira está em todas as partes de Campo Grande e é uma fruta símbolo da nossa região", diz Adalton.        

veja também