MENU

Empresas não devem proibir acesso a redes sociais e internet, diz especialista

Empresas não devem proibir acesso a redes sociais e internet, diz especialista

Atualizado: Segunda-feira, 11 Janeiro de 2010 as 12

Você já ouviu falar nos jogos do Facebook como Mafia War, Vampire War, Farmville e Street Racing? Esses jogos na internet permitem que o usuário interaja com seus amigos, sem que todos precisem estar on-line ao mesmo tempo. Se você faz parte do grupo de pessoas que não consegue ficar longe desta ferramenta do mundo virtual, saiba que o acesso deve ser evitado no ambiente de trabalho.

Apesar destes jogos diminuírem a produtividade - assim como a utilização do Orkut, MySpace, Twitter e blogs -, a consultora de Recrutamento e Seleção da Ricardo Xavier, Gisele Andriotti, acredita que as empresas não devem vetar o acesso. ''Proibir é uma medida muito rígida. O que é necessário é que a pessoa tenha bom senso ao utilizar'', explicou.

Tempo determinado

Para Gisele, os jogos não são adequados para o ambiente de trabalho, mas o profissional pode acessar em determinado momento, como, por exemplo, em sua hora de almoço.

A consultora afirma ainda que a utilização de redes sociais ou da internet, em pausas curtas e moderadas, pode ajudar para que a pessoa volte ao trabalho mais concentrada, já que se desligou de suas atividades durante alguns minutos.

Em caso de proibição

Em caso de proibição, a empresa deve avisar aos profissionais no processo de contratação e reforçar sempre que puder a sua política. Assim, evitará futuros aborrecimentos.

''Se a empresa proibir e o colaborador desobedecer, o profissional pode receber uma advertência'', alertou Gisele.

Depende de cada área

A utilização de redes sociais ou da internet podem ser também uma ferramenta de trabalho, mas depende de cada área e de autorização da empresa.

Segundo Gisele, em sua área de atuação, a de Recursos Humanos, é importante que os recrutadores tenham acesso ao Linkedin, rede de relacionamento utilizada por profissionais. ''Além da minha área, alguns profissionais de Comunicação precisam ter acesso às redes sociais e internet. Faz parte do trabalho'', afirmou.

veja também