MENU

Entrevista: Carlos Alberto Bezerra Júnior - Vereador

Entrevista: Carlos Alberto Bezerra Júnior - Vereador

Atualizado: Segunda-feira, 16 Junho de 2008 as 12

Por Myrian Rosário

O combate ao abuso sexual de crianças tem sido um dos temas mais debatidos atualmente nas mais diversas esferas políticas do Brasil. Bandeira do senador evangélico Magno Malta, que preside a CPI da Pedofilia, a questão também motivou a criação de uma lei municipal, de autoria do vereador Carlos Alberto Bezerra Júnior, integrante da Comissão Extraordinária de Defesa da Criança, do Adolescenmte e da Juventude. Filho de pastor e médico ginecologista, Bezerra Júnior fala sobre a postura dos evangélicos na política e na sociedade.

Guia-me: Como você avalia o momento da igreja evangélica no Brasil?

Carlos Aberto Bezerra Jr.: Nós passamos por um momento de grande desafio porque o evangelho nunca foi tão difundido no país como hoje. Nunca crescemos tanto e com tanta velocidade. Nosso desafio é alcançar um crescimento com solidez na Palavra de Deus.

Guia-me: Nós podemos fazer a diferença na sociedade?

Carlos Aberto Bezerra Jr.: Para isso é fundamental que haja coerência entre o que pregamos e o que vivemos. A maneira como vivemos e como isso influencia a situação do país é mais importante do que os nossos discursos. O crescimento da população evangélica tem que promover uma diminuição na violência, na criminalidade, na miséria e nas desigualdades sociais. Se o nosso modo de viver não for refletido numa transformação social profunda, de nada adiantará a nossa pregação.

Guia-me: Por que a presença de evangélicos na política é importante?

Carlos Aberto Bezerra Jr.: É importante que nos organizemos também politicamente para fazermos com que a nossa voz seja ouvida. Mas, mais do que isso, é preciso fazer com que o nosso testemunho de vida fale mais alto do que os nossos discursos também no cenário poliítico.

Guia-me: Quais têm sido as suas bandeiras na Câmara Municipal de São Paulo?

Carlos Aberto Bezerra Jr.:   Eu tenho trabalhado muito fortemente, a partir dos meus valores cristãos, para combater um dos grandes males da sociedade que é o abuso sexual das crianças. No Brasil, uma criança é sexualmente abusada a cada oito minutos. Precisamos levantar um exército de oração para que os líderes sejam sensibilizados para batalhar pela prevenção e pela punição dos responsáveis por esses atos de violência.

Guia-me: De que maneira você tem trabalhado para prevenir esse abuso?

Carlos Aberto Bezerra Jr.: Nós criamos um Programa de Proteção à Criança  (Lei 14.247), para o combate ao abuso sexual infantil. Essa é uma medida pioneira, que tem foco na prevenção. Ela traz o tema do combate ao abuso sexual e à violência infantil para o centro do debate público, põe a criança no topo da agenda dos educadores e leva a cidade de São Paulo a uma posição de vanguarda na proteção à criança no Brasil.

Guia-me: Qual é o mecanismo de ação desse programa?

Carlos Aberto Bezerra Jr.: Essa lei foi lançada junto com a WCF, Instituto World Childhood Foundation (que é um braço da instuição criada pela rainha Sílvia, da Suécia) e a Secretaria Municipal de Educação e prevê um treinamento que será ministrado a todos os servidores que lidam com crianças para que percebam nelas sinas físicos e psicológicos de abuso. Na etapa inicial do treinamento, serão formados 700 coordenadores pedagógicos da rede municipal de ensino. Esses servidores irão multiplicar o treinamento para 22 mil educadores. Ao todo, a iniciativa deve proteger mais de 400 mil crianças que estudam em creches e pré-escolas municipais.

Guia-me: Quais são os seus projetos para o futuro?

Carlos Aberto Bezerra Jr.: Eu pretendo me candidatar novamente a vereador nas próximas eleições.

veja também