MENU

Enxurrada abre cratera em restaurante de Bragança Paulista

Enxurrada abre cratera em restaurante de Bragança Paulista

Atualizado: Sexta-feira, 14 Janeiro de 2011 as 1:50

A força da enxurrada que inundou a cidade de Bragança Paulista, a 85 km de São Paulo, nesta quinta-feira (13) causou a abertura de uma cratera dentro de um restaurante no Centro da cidade. No total, seis imóveis comerciais já foram totalmente interditados e estão condenados, segundo a Defesa Civil municipal. O Rio Jaguari, que passa por debaixo deles, teve seu nível muito elevado com a chuva, causando o problema. Em outros imóveis, o chão não cedeu, mas é possível ver o piso estufado pela força da água.

Outros oito estabelecimentos comerciais da Avenida José Gomes da Rocha Leal foram parcialmente interditados e aguardavam uma vistoria na manhã desta sexta-feira (14) para a avaliação dos estragos. Segundo o agente da Defesa Civil Carlos Alberto do Oliveira, a inspeção será feita por um técnico do Instituto de Geologia de São Paulo e por engenheiros da prefeitura. Por causa dos riscos ainda existentes de desabamento nos imóveis, um trecho da avenida foi interditado para veículos.

O dono do restaurante onde o piso cedeu parecia ainda não acreditar no ocorrido nesta manhã. O comerciante Divanir Cavalar, de 43 anos, aguardava na porta de seu estabelecimento a chegada dos agentes para a vistoria. Ele estava no local com a filha quando o chão começou a ser levado pela água.

“Começou a chover pouco antes das 13h, alagou a rua, ficou com um metro de água lá dentro. Formou uma correnteza, a água entrava pela janela dos fundos. Quando a água baixou, depois das 17h, nós entramos e começamos a ouvir uns estalos. Saímos e desabou tudo”, contou ele. “Parecia que ia desabar o teto. O rio levou freezer, geladeira, mesas. O prejuízo é total.”

O comerciante, assim como outras pessoas que trabalham na região, conta que nunca enfrentou uma enchente tão forte na avenida – a água normalmente alagava a via e entrava pouco nos imóveis. Perto do restaurante, em uma área que ainda não foi interditada, a força da água arrebentou o muro dos fundos de um centro automotivo e entortou dois portões de ferro.

“Quando a rua começou a encher, os meninos fecharam o portão da frente. Eles ficaram trabalhando aqui dentro, quando de repente, do nada, estourou o muro. Ficou um rio correndo aqui dentro”, contou o dono do local, Albertino. “Tinha três carros nos elevadores, ficamos com medo de cair. A água pressionou o portão de ferro dos fundos, que entortou. Vários pneus e ferramentas foram levados pela enxurrada.”

O comerciante ainda não calculou os prejuízos, mas desmontava nesta manhã os equipamentos e se preparava para deixar o local fechado. “Com o muro aberto, a primeira chuva que vier alaga tudo. Não vou arriscar ficar aqui. É melhor ficar parado do que perder tudo”, afirmou ele.

Cartório alagado

Em diversos pontos da cidade é possível ver marcas da chuva – por onde se passa, há moradores e comerciantes com botas e mangueiras, tentando limpar o que restou da lama. O trabalho de limpeza deixou o 1º Tabelião de Bragança Paulista, Fábio Nougalli, com bolhas nas mãos. O cartório de notas, que fica próximo ao centro automotivo, foi inundado pela água que entrava pela tubulação dos fundos, ao lado do córrego.

“A água entrou pelos fundos e pelo encanamento do banheiro. Foi coisa de cinco minutos e já começou a inundar o cartório. Fomos atrás de sacos de areia para fazer barricadas e começamos a subir os documentos, colocando nas mesas e no mezanino. Ontem [quinta-feira] fiquei quatro horas passando rodo só para tirar a água. Hoje estamos limpando. O cartório só vai abrir mais tarde”, disse ele, que pretende deixar barricadas feitas de sacos de areia prontas no local durante o fim de semana para evitar problemas caso chova forte novamente. “O medo era que o muro caísse. Nunca tinha acontecido isso, de a água vir pelos fundos.”

A Prefeitura de Bragança Paulista informou que equipes da administração municipal e da Defesa Civil estão nas ruas avaliando os estragos e dando apoio à população. De acordo com a prefeitura, a enchente foi agravada pela abertura das comportas do reservatório Jaguari-Jacareí na última quarta-feira (12). A vazão da água que cai no Rio Jaguari foi aumentada. A prefeitura informou que foi avisada pela Sabesp e que atualmente a vazão está em 5 m³/s - normalmente, ela é de 0,5 m³/s.

veja também