MENU

Equipe econômica de Dilma deve ser anunciada primeiro

Equipe econômica de Dilma deve ser anunciada primeiro

Atualizado: Quinta-feira, 4 Novembro de 2010 as 11:02

O primeiro grupo de ministros a ser anunciado pela presidente da República eleita Dilma Rousseff devem ser os da área econômica.

A expectativa é que ela e o presidente Lula analisem juntos as opções para o Banco Central e os ministérios da Fazenda e do Planejamento na viagem que farão a Seul, para encontro do G-20, no próximo dia 11.

Segundo a Folha apurou, o objetivo é evitar a criação de um clima de desconfiança no mercado financeiro.

A petista já havia dito que anunciaria sua equipe em blocos, evitando o anúncio individual de nomes.

Lula já aconselhou Dilma a manter Guido Mantega na Fazenda e Henrique Meirelles no Banco Central. A presidente eleita, porém, ainda tem dúvidas, principalmente em relação ao BC.

MANTEGA COTADO

Dilma não gostaria de manter Henrique Meirelles e pretende indicá-lo para outra pasta. No caso de Mantega, ela pode atender ao desejo do presidente.

Segundo aliados da presidente eleita, ela gostou da forma como Mantega enfrentou a crise econômica internacional, mas avalia que ele gera, em alguns momentos, "confusões" no mercado, além de não ter conseguido controlar conflitos dentro da Receita Federal.

A definição sobre a equipe econômica, contudo, sairá das conversas de Lula e Dilma durante a viagem à Coreia. Lula poderá convencê-la a manter, pelo menos num primeiro momento, a mesma equipe atual.

O nome preferido por Dilma para Fazenda era o de Luciano Coutinho, atual presidente do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social).

Na avaliação de um membro do Executivo, a antecipação do anúncio abriria caminho para que a nova equipe já começasse, por exemplo, a discutir com o governo medidas de impacto fiscal.

Inicialmente, Dilma pensou em revelar todos os nomes em dezembro, mas alguns interlocutores, entre eles o ex-ministro Antonio Palocci, ponderaram sobre a conveniência de liquidar a fatura da área econômica na semana após o dia 12.

No caso do Ministério do Planejamento, se Paulo Bernardo for designado para outra pasta, a petista pode optar por Nelson Barbosa, atual secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, ou um de seus interlocutores quando era ministra-chefe da Casa Civil.

Barbosa chegou a tirar férias do gabinete para atuar ao lado de Dilma durante a campanha presidencial.

Ontem, na entrevista surpresa convocada por Lula, o presidente afirmou que a petista fará um ministério com a cara dela, ao contrário dos rumores de que terá um papel proeminente na formação da equipe do novo governo. Lula garante que se resumirá a torcer, da arquibancada, "sem corneta".

Por: Natuza Nery e Valdo Cruz

veja também