MENU

Erro da polícia de Catanduva compromete punição, diz presidente da CPI da Pedofilia

Erro da polícia de Catanduva compromete punição, diz presidente da CPI da Pedofilia

Atualizado: Sexta-feira, 20 Março de 2009 as 12

Catanduva (SP) - O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia, senador Magno Malta (PR-ES), afirmou na última quarta-feira, dia 18 de março, que o erro da delegada Rosana da Silva Vani pode comprometer a punição dos suspeitos de abusar sexualmente de crianças em Catanduva (SP). A delegada avisou ao advogado defesa que faria uma diligência na casa de um dos suspeitos. Quando chegou ao local, a equipe da Polícia Civil não encontrou a CPU do computador que conteria vídeos e fotos de pedofilia.

"Uma série de provas foram destruídas. Muita gente não vai ser punida", disse Malta, em entrevista coletiva concedida após o depoimento da delegada na audiência pública da CPI realizada na cidade. "Este era o presente que eles queriam."

Malta comentou também a série de críticas feitas por pais de supostas vítimas de abuso ao trabalho da Polícia Civil e de outros órgãos, como o Conselho Tutelar e o Ministério Público, no caso. "Tem muito erro no processo todo. No mínimo, houve omissão, houve abandono dessas famílias vitimadas", disse ele, ressaltando que as famílias são todas de baixa renda.

O senador afirmou ainda que a CPI está procurando apurar os fatos e reunir provas. A Polícia Federal também investiga o caso e as investigações da Polícia Civil foram transferidas para outra delegacia.

Malta também não descartou a possibilidade de a CPI enviar um pedido à Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo para que sejam tomadas providências quanto aos erros da delegada.

Escrito por: Vinicius Konchinski

veja também