MENU

Escrivão que aconselhou vítima a se mudar do Morumbi é afastado em SP

Escrivão que aconselhou vítima a se mudar do Morumbi é afastado em SP

Atualizado: Sexta-feira, 4 Novembro de 2011 as 11:25

A Polícia Civil de São Paulo afastou na quinta-feira (3) o escrivão do 89º Distrito Policial, no Portal do Morumbi, Zona Sul da capital paulista, que teria aconselhado as vítimas que foram reféns de assaltantes armados durante um roubo ao apartamento delas num prédio, na quarta-feira (2), a se mudarem do bairro onde moram. Além disso, a Corregedoria da Polícia Civil deverá instaurar um procedimento administrativo para apurar se o policial cometeu alguma infração disciplinar. Se a investigação comprovar que o escrivão fez mesmo o comentário aos moradores, ele será punido.

A informação sobre o afastamento do escrivão foi confirmada nesta manhã pela assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública do Estado de SP. O G1 não conseguiu localizar o policial afastado para comentar o assunto. O nome dele não foi divulgado.

De acordo com o departamento de comunicação da pasta, o delegado titular do 89º DP, Carlos Battista, informou que o escrivão mencionado pelas vítimas foi transferido para a 3ª Delegacia Seccional Oeste, responsável por coordenar mais 13 distritos policiais além do Portal do Morumbi. Lá, será decidido onde o policial irá trabalhar enquanto a corregedoria apura a sua conduta.

Uma das vítimas dos criminosos que roubaram imóveis num condomínio fechado no Morumbi, o ator Diogo Picchi, afirmou à imprensa na quarta que foi orientado na delegacia a deixar o bairro porque ele está “muito perigoso”.

“Lá dentro da delegacia mesmo, o pessoal que trabalha na delegacia, o conselho que eles diziam o tempo todo para a gente era: ‘Olha, vocês devem se mudar daqui, porque está muito perigoso e não dá para dar conta da situação'”, havia dito Picchi.

Desde setembro, o G1 faz um mapa com dados sobre a violência no Morumbi , com a ajuda de leitores e da polícia.

Picchi chegava com a namorada no prédio que fica na Rua Manoel Antônio Pinto, quase na esquina com a Avenida Giovanni Gronchi. Ele é filho dos atores Elizabeth Savalla e Marcelo Picchi.

Para cometer o crime, três assaltantes cortaram a tela de proteção do condomínio e renderam o porteiro durante a madrugada. Um morador que saía para trabalhar foi surpreendido e levado para o apartamento. Os criminosos o amarraram, fizeram ameaças com uma arma e roubaram aparelhos eletrônicos e roupas.

O ator foi abordado quando os ladrões iam embora. Ele e a namorada foram levados para o apartamento, onde um amigo do casal dormia. Todos foram ameaçados pelos ladrões.

Em menos de 24 horas, a rua foi atacada duas vezes. Além do prédio, criminosos assaltaram também uma imobiliária que fica bem ao lado do condomínio

Segundos dados da polícia, de janeiro a setembro deste ano foram registrados 1.094 roubos, 232 roubos de veículos, 176 furtos de veículos e nove homicídios.

Quem mora no bairro e pode mudar, já pensa em seguir o conselho dado ao ator. A Polícia Militar, no entanto, diz que fugir não é a melhor alternativa e que os dois assaltos registrados na mesma rua são casos isolados. Além disso, a corporação afirma que os índices de criminalidade tem caído desde o início da Operação Colina Verde.

Nenhum dos integrantes da quadrilha que invadiu o prédio foi preso.            

veja também