MENU

Esgoto a céu aberto incomoda moradores na Zona Sul de SP

Esgoto a céu aberto incomoda moradores na Zona Sul de SP

Atualizado: Terça-feira, 24 Maio de 2011 as 1:35

Os moradores do Jardim Jangadeiro, na Zona Sul de São Paulo, não suportam mais conviver com o esgoto a céu aberto. Desde dezembro, eles buscam uma solução para a rede coletora que entupiu. Segundo eles, a Sabesp já apareceu para consertar, mas depois de alguns dias, o buraco na Rua Abílio César volta a jorrar água. Além do cheiro, há o perigo de alguém cair no buraco.

“Por conta dessa boca de lobo que estourou, o mau cheiro é terrível. Tem vários buracos na rua, é uma avenida principal e o mal-estar que dá tanto para quem está na rua quanto pros pedestres. Nem calçada existe mais”, conta a recepcionista Rejane Cristina de Oliveira.

  O esgoto forma uma grande correnteza pela rua até virar praticamente uma cachoeira. “Na hora do almoço você pega um prato de comida e não tem prazer de comer. Tem que fechar porta e janela e nem assim não resolve”, reclama a aposentada Zezinha Gomes Guimarães.

Duas coisas incomodam muito o casal Maria e José Faustino de Oliveira: o mau cheiro insuportável e um buraco na calçada. Entretanto, a maior preocupação deles é com a segurança. “Estou assustado porque os pedestres passam aqui e podem cair. Eu estendi essa tábua para legítima defesa da criança e do pedestre”, afirma o aposentado.

O açougueiro Sérgio Bispo está sentido o problema no bolso. “A média de venda por dia era de 80 a 100 quilos de carne. Hoje eu to vendendo 40, 30 quilos”, conta ele. Outro comércio prejudicado é a loja de artigos de festa. Ela fica bem em frente ao esgoto. “O pessoal evita entrar por causa do bueiro, do esgoto”, fala Larissa Cândido de Souza, comerciante.

Segundo a Sabesp, a questão será resolvida em, no máximo, 72 horas. “O transtorno é grande, mas no prazo máximo de 72 horas nós vamos estar com o conserto concluído, a vala, passeio, tudo direitinho. Em 72 horas não teremos mais esse problema de esgoto na rua”, afirma o gerente da Região Sul da Sabesp, Meunim Rodrigues Oliveira Jr.

“Para evitar problemas futuros vamos fazer uma rede coletora nova num prazo máximo de seis meses, em toda a extensão da rua, diâmetro maior. A antiga será interligada na rede nova evitando definitivamente problemas de obstrução”, completa o gerente.

veja também