MENU

"?Espero que a justiça seja feita", diz pai de estudante assassinado na USP

"?Espero que a justiça seja feita", diz pai de estudante assassinado na USP

Atualizado: Sexta-feira, 10 Junho de 2011 as 10:50

Ocimar Paiva, pai do estudante Felipe Ramos de Paiva, morto dentro da USP (Universidade de São Paulo), afirmou que espera que o suspeito do assassinato, que confessou o crime, fique preso por causa da morte do filho. O estudante foi morto no estacionamento da faculdade no dia 18 de maio deste ano, após dois homens tentarem roubar seu carro.

- É um sentimento de perda, porque ele foi preso mas não ficou [na cadeia]. Ficou impune no momento. Justiça para mim é ele ficar preso, porque confessou que cometeu um crime brutal. Meu filho foi executado com um tiro na cabeça, por trás e morreu inocentemente.

Um dos suspeitos se entregou à polícia na quinta-feira (10) e por isso vai responder ao crime de latrocínio [roubo seguido de morte] em liberdade. Sua prisão temporária só vai ser pedida depois que a polícia tiver mais pistas do comparsa. Depois de decretada a prisão preventiva, a polícia tem um prazo de dez dias para concluir o inquérito.

O criminoso contou que, inicialmente, ele e um comparsa tentaram roubar o carro de uma mulher dentro da Cidade Universitária, mas ao perceberem que ela tinha necessidades especiais, ficaram com pena. O comparsa está foragido.

Na versão do suspeito, o objetivo era roubar o carro da vítima, que teria reagido com um soco.

Essa versão confirma a suspeita da Polícia Civil, de que se trata de um caso de latrocínio. Se for condenado, ele deve responder pelo artigo 157 do Código Penal, que trata sobre o crime de roubo. É prevista até a pena máxima para quem comete latrocínio: 30 anos de prisão.          

veja também