MENU

Espírito Santo irá produzir 500 mil barris de petróleo em 2013

Espírito Santo irá produzir 500 mil barris de petróleo em 2013

Atualizado: Segunda-feira, 2 Fevereiro de 2009 as 12

Com o maior volume de recursos a ser aplicado na exploração e produção do Espírito Santo, a Petrobras prevê um marco na indústria de petróleo e gás natural capixaba: a extração de 500 mil barris de óleo/dia e de 20 milhões de metros cúbicos de gás/dia até 2013. São investimentos em terminais, novas plataformas e gasodutos, que totalizam no período de 2009-2013 um montante de US$ 17 bilhões, 15% do orçamento da empresa no País.

O anúncio foi feito na manhã da última sexta-feira, dia 30, durante coletiva no Palácio Anchieta, com a presença do governador Paulo Hartung; do secretário de Estado de Desenvolvimento, Guilherme Dias; do diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Guilherme Estrella; e do gerente geral da Unidade de Negócios da Petrobras no Espírito Santo, Márcio Félix.

Os investimentos fazem parte do Plano de Investimentos da Petrobras 2009-2013, anunciado na última semana, e que consolida o Espírito Santo como um dos estados prioritários para o desenvolvimento de projetos no setor no País. "São notícias extraordinárias em um momento em que temos uma preocupação forte com o emprego dos nossos trabalhadores. Abre ainda oportunidades para as empresas dos segmentos de construção civil e metalmecânica, fornecedoras de serviços da Petrobras", destacou o governador Paulo Hartung.

O diretor da Petrobras explicou que os US$ 17 bilhões serão investidos em projetos concentrados no Parque das Baleias, no Sul do Estado, e no desenvolvimento da produção no pólo gasifico de Golfinho e Camarupim, no Norte capixaba. "A extração de 500 mil barris/dia será o pico de produção em 2013. A nossa meta é cruzar esse patamar com a instalação de plataformas no Parque das Baleias e continuar a atividade exploratória de modo que novas descobertas venham a somar a outros campos descobertos e entrem na linha de produção".

Dentre as novidades anunciadas por Estrella está a construção de um gasoduto marítimo - apelidado de "Gasene" marítimo -, que irá ligar o Parque das Baleias, localizado no Sul do Espírito Santo, aos campos de Camarupim e Golfinhos, no Norte capixaba. A previsão é de que as obras do duto de 120 quilômetros iniciem logo após aprovação do projeto pela empresa.

Segundo o diretor, a Unidade de Tratamento de Gás (UTGSul), em fase de construção em Ubu, no Sul do Estado, não terá capacidade para processar todo o gás natural a ser produzido no Parque das Baleias, onde foi descoberto petróleo leve e gás na camada de pré-sal. "Inicialmente, a unidade irá processar 2,5 milhões de metros cúbicos de gás por dia. A estimativa de produção no pré-sal capixaba é superior a 4 milhões de metros cúbicos/dia", explicou, ao ressaltar que não está descartada a expansão da UTGSul.

Os dirigentes listaram e consolidaram outros projetos previstos para o Espírito Santo. Como exemplo, há a construção de dois novos terminais, sendo um para armazenamento e transporte de C5+ e GLP (co-produtos do gás) no Norte do Estado; e outro, no Sul capixaba, que visa dar suporte às plataformas operantes no litoral. No primeiro caso, o projeto já está em fase de construção, enquanto que o segundo, a Petrobras iniciou a fase de licenciamento.

Outro destaque fica para a operação, até 2013, de quatro novas plataformas no litoral capixaba. O FPSO Cidade de São Mateus, que irá para o campo de Camarupim, no Norte do Estado, deve chegar no próximo dia 16 de fevereiro e será responsável pela extração de 10 milhões de metros cúbicos de gás por dia.

Há ainda a P-57, já contratada pela Petrobras, que deverá operar a partir de 2011 no lugar da P-34, atuante hoje no campo de Jubarte, no Sul do Estado, com capacidade de processar 180 mil barris de petróleo por dia. Já a P-58 deverá entrar em operação entre 2013 e 2014 no campo de Baleia Azul, no Sul capixaba, extraindo até 180 mil barris por dia de óleo.

O gerente Márcio Félix lembrou que, antes da P-58, a Petrobras deverá contratar uma nova embarcação para operar no campo de Baleia Azul, com a produção de 100 mil barris por dia. "A P-58 deverá complementar a atividade da primeira plataforma", disse.

A FPSO Capixaba, que já atua hoje no campo de Golfinho, será transferida para operar nos campos de Cachalote e Baleia Franca, no Parque das Baleias, no Sul capixaba. A embarcação, com capacidade de 100 mil barris/dia, entra em operação entre março e abril de 2010.

Fertilizante e visita de Lula

Durante a coletiva, o governador Paulo Hartung lembrou o pleito feito ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na última quarta-feira, para que o Estado possa ser considerado como principal alternativa para sediar uma fábrica de fertilizantes, agregando valor à cadeia produtiva do gás natural. O projeto foi um dos listados no Protocolo de Intenções firmado entre a Petrobras e o Governo do Estado em março de 2007.

Além disso, o governador destacou que a visita do presidente ao Espírito Santo para a inauguração da terceira fase da Unidade de Tratamento de Gás de Cacimbas (UTGC), em Linhares, no Norte do Estado, deve acontecer em março deste ano. A data ainda não foi definida.

Fornecedores e iniciativa privada

Diante do cenário promissor por conta dos investimentos da Petrobras, o secretário Guilherme Dias destacou ainda que novos projetos de grupos privados vão incrementar as atividades do segmento de petróleo e gás no Espírito Santo, gerando emprego e renda.

Como exemplo, ele destacou as negociações junto à Jurong para a implantação de um estaleiro próximo à Barra do Riacho, no Norte do Estado, destinado à construção de sondas de perfuração, plataformas de exploração e produção e ao reparo naval.

Há ainda a construção de oito novas termelétricas - sendo cinco movidas a gás natural e três a óleo -, conforme resultado do último leilão de energia nova realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que irá triplicar a capacidade energética do Espírito Santo.

"Todos esses projetos serão somados com os investimentos da Petrobras, gerando assim emprego e renda no Estado e consolidando a cadeia de petróleo e gás natural capixaba", destacou o secretário Dias.

veja também