MENU

'Está na hora de vencermos o Miss Universo', diz candidata do Brasil

'Está na hora de vencermos o Miss Universo', diz candidata do Brasil

Atualizado: Segunda-feira, 16 Agosto de 2010 as 10:15

Eram 5h30 da manhã deste domingo (15). A Miss Grã-Bretanha, Tara Hoyos, atendeu o telefone da reportagem do G1 no quarto que divide com a Miss Brasil Débora Lyra no hotel Mandalay Bay, em Las Vegas (EUA). “’Debra’, it is for you! Telephone!”, gritou. O dia nem tinha começado e a brasileira já estava acordada, tomando banho, preparando-se para mais um dia de intensa rotina. Débora não quer apenas participar, mas ganhar o Miss Universo 2010, e acha que uma vitória do Brasil é uma questão de "justiça".

A final do concurso será na próxima segunda-feira (23), e esta semana será decisiva para a definição de quais candidatas, entre as 83 participantes, vão passar pela primeira grande “peneira” e ir às semifinais do evento que elege a “mulher mais bonita do mundo”. Para conseguir falar com a miss brasileira, só telefonando muito cedo. A maratona de eventos das candidatas começa já no café da manhã e vai até o final da noite. São ensaios, entrevistas, sessões de fotos e cuidados especiais com a beleza e a alimentação. Débora diz que esta correria não a incomoda. “Sinceramente? Não me sinto cansada”, diz a miss de 20 anos, que venceu o concurso nacional representando Minas Gerais. Ela chegou a Las Vegas há uma semana, e desde então não teve um momento de descanso. “Tudo é muito corrido, tem ensaio todo dia, temos uma hora para se arrumar para o evento, fotos, entrevistas. A gente dorme tarde e acorda cedo. Mas para mim é muito fácil. Já participei de muitos concursos e sei que o ritmo é assim mesmo.”

Débora acredita que, como se diz no futebol, o concurso Miss Universo pode ser decidido “no detalhe”. “O grupo está muito seleto, as meninas são belíssimas, mais do que qualquer outro ano", diz. "A organização comenta que será difícil, tem pelo menos 25 belíssimas candidatas em condições de ganhar o título”, afirma. Carisma, atitude e respeito aos horários estabelecidos são detalhes que podem fazer a diferença, na opinião dela. 'Fazer justiça'

Por isso, antes mesmo de ser eleita a Miss Brasil, traçou uma intensa preparação para chegar longe. Débora nasceu em Vila Velha, no Espírito Santo, e há dois anos foi convidada por José Alonso Dias, o produtor que preparou a ex-miss Natália Guimarães, para morar em Divinópolis (MG) e concorrer ao Miss Minas Gerais. Natália foi vice-campeã do Miss Universo em 2007, quando perdeu o título para Riyo Mori, do Japão. Débora acredita que poderá ir longe também. “As pessoas envolvidas no evento sentem que é hora do Brasil vencer. A Natália foi injustiçada, agora precisamos fazer justiça.” Até hoje apenas duas brasileiras venceram o Miss Universo: Ieda Vargas, em 1963, e Marta Vasconcellos, em 1968. Débora estuda inglês desde a adolescência, e recentemente morou por três meses em Atlanta, onde fez um curso para aperfeiçoar o idioma. “Quando souberam que eu falava inglês fluentemente me colocaram para dividir o quarto com a Miss Grã-Bretanha”, destaca Débora. Apesar da ascendência espanhola da colega, as duas só conversam em inglês. “Fiz a entrevista para o site oficial do Miss Universo em inglês e fui muito elogiada.” No ano passado, a dificuldade com o inglês prejudicou o desempenho da representante brasileira Larissa Costa.

Além da fluência em inglês, a miss ganhou nos Estados Unidos alguns quilos a mais, e teve de se submeter a uma dieta e muita malhação para chegar em boa forma no concurso. Comida, só a japonesa. “Adoro sushi e sashimi. É o prato das misses.”

A família acompanha tudo de longe, no Brasil. Os pais estão morando em São Paulo. Débora mudou-se para o Rio há três meses, mas quase não para em casa. O curso de jornalismo em uma faculdade de Divinópolis está trancado. “Quero um dia me formar e ir trabalhar como apresentadora de tevê”, diz. E o namorado? “Não tenho namorado. Não é por falta de tempo”, avisa a bela, que no hotel em Las Vegas dorme abraçada a um ursinho de pelúcia que ganhou do pai. “Na verdade, se eu achasse alguém que soubesse entender meu caso, daria para levar tranquilamente.”

Postado por: Thatiane de Souza

veja também