MENU

Estação Angélica do Metrô deverá ter túnel de acesso à Faap, diz secretário

Estação Angélica do Metrô deverá ter túnel de acesso à Faap, diz secretário

Atualizado: Segunda-feira, 16 Maio de 2011 as 12:02

O secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Jurandir Fernandes, disse nesta segunda-feira (16) que a futura Estação Angélica, da Linha 6-Laranja do Metrô paulistano, deverá ser construída na Rua Sergipe, nas proximidades com a Fundação Armando Alvares Penteado (Faap), em Higienópolis, na região central da capital paulista.

Segundo ele, o Metrô nunca afirmou que a Estação Angélica sairia de Higienópolis. Ainda de acordo com ele, a futura estação terá um túnel de acesso à Faap. O anúncio foi feito durante a inauguração da Estação Pinheiros, da Linha 4-Amarela, do Metrô, nesta manhã.

“Não vai sair estação da região da Angélica. Aquela esquina que estava desenhada a estação, que é Sergipe com a Angélica, nós vamos tentar empurrar a estação um pouquinho mais para dentro da Sergipe, para servir a Faap. Nossa ideia é empurrar, a estação está em profundidade, fazer um túnel de ligação que saia na boca da Faap. Essa é uma ideia que nós estamos discutindo”, afirmou o secretário. “Essa entrada da Faap vai servir para todo mundo que vier do Pacaembu, porque no Pacaembu você não pode ter estação na boca, foi certo o que o governo passado fez [retirar a estação do projeto].”

Fernandes afirmou ainda que a Linha 6-Laranja está em processo de audiência pública e, por isso, a localização das estações pode ser alterada. “Essa definição ela não pode ser batido o martelo pelo Metrô, porque está em fase de audiência pública. Nós temos que ouvir a população de cada bairro. Enquanto nós tivermos as audiências públicas a gente não pode bater o martelo”, explicou.

No sábado (14), manifestantes protestaram na Avenida Higienópolis contra a iniciativa de moradores do bairro que tentam vetar construção da Estação Angélica - que inicialmente seria na esquina da Avenida Angélica coma  Rua Sergipe. Organizada como "churrasco" por meio de redes sociais, a manifestação atraiu centenas de pessoas e bloqueou o tráfego de veículos por onde passou. A polícia acompanhou tudo à distância.        

veja também