MENU

'Estamos perto da conclusão', diz perito que apura queda no Playcenter

'Estamos perto da conclusão', diz perito que apura queda no Playcenter

Atualizado: Terça-feira, 5 Abril de 2011 as 3:31

A perícia do Núcleo de Engenharia do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Técnico Científica de São Paulo informou que está próxima de saber o que causou o acidente com o Double Shock, brinquedo do Playcenter que deixou oito pessoas feridas na tarde de domingo (3), por volta das 17h40. As travas de segurança do aparelho se soltaram, aparentemente sozinhas, e derrubaram seis usuários que estavam no banco. Elas sofreram traumatismos, mas não correm risco de morte. Duas conseguiram se segurar e tiveram escoriações. Três das que caíram continuam internadas.     “Estamos perto de uma conclusão. Temos um leque de três possibilidades. Que o destravamento tenha sido causado por falha mecânica de quem fabricou o brinquedo, humana de quem o operou ou cuidou ou até falha da manutenção do equipamento”, disse José Manuel Dias Alves, um dos três peritos que estiveram nesta terça-feira (6) no parque de diversões realizando uma vistoria no brinquedo.

O Double Shock está interditado por tempo indeterminado desde domingo e sua liberação está condicionada ao resultado do laudo, que deverá ficar pronto em até um mês, segundo Alves. Ele e sua equipe foram três vezes ao parque para analisar e realizar testes no aparelho. Apesar disso, não estão descartadas mais visitas ao brinquedo.

A entrada da imprensa não foi autorizada para acompanhar os trabalhos da perícia. De acordo com Alves, ainda não foi discutida a possibilidade da desmontagem do aparelho e, por enquanto, os testes estão sendo realizados dentro do próprio parque.

Ainda nesta terça, a Polícia Civil de São Paulo ouviu dois funcionários do Playcenter responsáveis pela manutenção dos brinquedos do parque de diversões da Zona Oeste da capital paulista. A polícia apura as causas do acidente.

De acordo com o delegado Marco Aurélio Batista, titular do 23º Distrito Policial, em Perdizes, um desses dois empregados do Playcenter é suspeito de ter autorizado a liberação do brinquedo após ele apresentar uma pane e parar de funcionar três horas antes do acidente, perto das 14h30 de domingo (3). Três operários que cuidavam do funcionamento do brinquedo já foram ouvidos pela polícia na segunda-feira (6). Eles haviam dito que um sinal acendeu na sala de operação e que o responsável pela manutenção tinha sido acionado para resolver o problema.

Ainda de acordo com o delegado, cinco das vítimas que foram medicadas e liberadas deverão começar a ser ouvidas a partir da tarde desta terça.

A assessoria de imprensa do Hospital Metropolitano, onde as três vítimas estão internadas, informou que apenas uma família autorizou a divulgação sobre o estado de saúde. Daniela Aparecida Pansarin, de 30 anos, deverá ter um boletim médico divulgado durante esta tarde. A equipe de reportagem do G1 apurou que outras duas pessoas estão internadas no local: uma criança de 12 anos e uma mulher de 20.

O Procon e o Ministério Público de São Paulo abriram investigações sobre o acidente. Foi o segundo acidente ocorrido no Playcenter nos últimos seis meses. Em outubro de 2010, 16 pessoas ficaram feridas na montanha-russa Looping Star. A Prefeitura informou que vai aumentar a fiscalização no parque.

“Eu determinei a todas as secretarias que têm vinculação no serviço de fiscalização que façam uma vistoria bastante rigorosa, até para que possam dar uma satisfação à sociedade. Familiares de crianças que diariamente lá brincam, jovens, famílias, e essa é a nossa obrigação, nossa finalidade”, disse o prefeito Gilberto Kassab.      

veja também