MENU

'Estou com a roupa do corpo', diz morador de prédio incendiado no RJ

'Estou com a roupa do corpo', diz morador de prédio incendiado no RJ

Atualizado: Quarta-feira, 25 Maio de 2011 as 10:49

Rodrigo esteve no edifício para tentar pegar documentos (Foto: Thamine Leta/ G1)

  O estudante de biologia Rodrigo Balbi, de 19 anos, deixou seu apartamento no edifício que pegou fogo na terça (24) na Rua Hadock Lobo, na Tijuca, na Zona Norte do Rio, e até a manhã desta quarta (25) não conseguiu voltar em casa para pegar documentos ou roupas. O edifício segue interditado e passou por uma vistoria da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros nesta manhã.

“Eu estava em casa quando começou o fogo. Vi muita fumaça, saí correndo e não pude voltar. Estou com a roupa do corpo. Preciso entrar lá e pegar um documento que seja”, disse.

Vistoria

Bombeiros informaram que a estrutura do edifício não foi abalada pelas chamas. "A vistoria da Defesa Civil não verificou nada que pudesse abalar a estrutura do prédio", explicou o comandante do quartel de Vila Isabel, coronel Miguel Angelo. Segundo ele, o prédio será liberado em breve, mas, por enquanto, os moradores continuam impedidos de entrar no edifício.

De acordo como engenheiro da Defesa Civil, Jorge Camisão, a parte elétrica do prédio foi muito danificada e por isso o imóvel continuará sem energia. Ainda segundo ele, moradores do bloco 2, que foi mais atingido pelas chamas, terão que esperar mais tempo para voltar para casa. Já os moradores do bloco 1 terão acesso a seus apartamentos em breve.

Seis apartamentos destruídos

Segundo o porteiro do edifício, Paulo Diniz, ao todo, seis apartamentos teriam sido atingidos pelo fogo e estariam completamente destruídos. Além dos bombeiros, ele foi a única pessoa que teve acesso ao prédio depois que o incêndio aconteceu.

Paulo Diniz viu toda a destruição (Foto: Thamine Leta/ G1)

  “Eu vi muita destruição, tudo queimado. Paredes não existem mais. Seis apartamentos foram destruídos e os bombeiros estão lá para fazer a vistoria”, contou.

O fogo teria começado no apartamento 804. A filha do inspetor de obras Nélio Arantes, mora no apartamento 805 e estava em casa com as filhas gêmeas de apenas três meses, quando a fumaça se alastrou. “Foi um susto terrível. Minha filha Graziela estava amamentando, quando a empregada alertou para o fogo. Em pouco tempo a fumaça invadiu o apartamento dela. O jeito foi enrolar as crianças em toalhas úmidas e descer pelas escadas. Deu tudo certo, graças a Deus”, descreveu Nélio, que foi até o edifício tentar buscar fraldas para as bebês.

Segundo o avô, as filhas de Graziela foram levadas para o hospital e, após exames, os médicos concluíram que elas estavam bem, apesar de terem inalado fumaça.

Atendidos no local

Durante o incêndio, 18 pessoas foram atendidas no local por bombeiros e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e liberadas em seguida. Algumas pessoas ficaram intoxicadas e outras tiveram crise nervosa.

Para controlar os focos do incêndio, foram convocados cerca de 80 bombeiros de vários quartéis. Trechos de algumas vias do bairro chegaram a ser interditados para facilitar o trabalho dos bombeiros. As equipes usaram o terraço de prédios vizinhos para tentar conter o fogo.

A Light, concessionária responsável pelo fornecimento de energia na cidade, informou que o abastecimento de luz precisou ser interrompido em um trecho da rua, incluindo o prédio. A medida foi tomada por medida de segurança, mas o serviço já voltou ao normal nas ruas ao redor da unidade.  O prédio, no entanto, segue sem luz.

Vizinha diz que TV explodiu

O fotógrafo Paulo Bastos, morador do apartamento 904, disse que o fogo começou no apartamento 804. Ele relatou que a vizinha do imóvel onde as chamas começaram contou que a televisão dela explodiu.

( O leitor Fabio Bonfim enviou o vídeo ao lado via VC no G1 )

Paulo Bastos disse também que só teve tempo de pegar o material de trabalho e deixar o local, que já estava tomado por muita fumaça preta. Paulo contou que o filho de 7 anos estava na escola e a mulher dele no trabalho.          

veja também