MENU

Estou levando meu filho para casa vivo, diz mãe de estudante agredido

Estou levando meu filho para casa vivo, diz mãe de estudante agredido

Atualizado: Terça-feira, 23 Agosto de 2011 as 10:39

Estudante teve de ser internado na UTI (Foto: Reprodução/TV Tem)

  O estudante Giovanni Conora Silva, de 19 anos, que foi espancado durante uma festa universitária na semana passada em Bauru, no interior de São Paulo, deve retornar para a cidade de São Bernardo do Campo, no ABC, onde vivem seus pais, nesta terça-feira (23). Segundo a mãe do jovem, Rita de Cássia Conora Silva, a família deve viajar no fim da tarde, para evitar o sol – devido aos ferimentos no rosto do estudante – e o trânsito na capital paulista.

“Graças a Deus ele é jovem. Ele está se recuperando bem, mas temos que correr atrás. É difícil, mas a gente vai aparando as arestas. Graças a deus estou levando meu filho para casa vivo. Posso dizer que a única coisa que eu quero é que quem fez isso pague”, disse Rita ao G1 nesta terça.

Giovanni sofreu fraturas no rosto e também foi atingido na coluna. Ele precisará usar uma cinta para viajar até São Paulo. A família quer esta semana procurar um oftalmologista para saber se houve descolamento de retina. “Ele está com um hematoma imenso, o olho está abrindo só agora. É o começo de um longo processo para ele. Ele não consegue respirar direito, não consegue andar muito tempo.”     O espancamento ocorreu numa casa noturna durante uma festa de alunos de vários cursos da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Giovanni cursa odontologia na Universidade de São Paulo, e mora em Bauru desde o início de 2011.

Ninguém sabe ao certo o motivo da briga. Segundo jovens que estavam no evento, o garoto foi agredido na frente de um dos banheiros. “Eu vi só a vitima cheia de sangue, saindo sangue do nariz, da boca”, conta um dos alunos. Ele foi levado ao hospital em estado grave. Os golpes atingiram principalmente a cabeça.

“Ele só se lembra que ele foi até o toalete. Daí para frente sofreu um golpe pelas costas. E não viu mais nada. Ele foi chutado, espancado”, afirmou a mãe. O jovem ficou dois dias em observação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e teve alta nesta segunda-feira (22).

Retorno

A volta para a casa dos pais, entretanto, será temporária. Segundo Rita, o filho quer voltar para a faculdade já na próxima semana. “Segunda que vem ele já quer estar na ativa de volta. Ele está louco para voltar para os amigos dele. Logo eles têm uma viagem, tem prova, as aulas de anatomia que ele ama, então ele prometeu aos médicos que ia fazer tudo o que foi pedido para poder voltar”, contou.

Também na próxima semana, na terça, o jovem irá passar por uma consulta com um cirurgião buco-maxilo-facial para avaliar se será necessária uma cirurgia. “Ele [o médico] quer ver exatamente o que aconteceu, para deixar a cirurgia para ultimo caso. É uma cirurgia extremamente delicada”, contou a mãe do estudante.

A Polícia Civil abriu um inquérito para apurar o caso. Já foram pedidos os exames de corpo de delito da vítima e imagens do sistema de monitoramento da casa noturna. Nenhum representante da boate quis falar sobre o assunto.          

veja também