Estudante da USP agredido em festa deve ter alta nesta segunda

Estudante da USP agredido em festa deve ter alta nesta segunda

Atualizado: Segunda-feira, 22 Agosto de 2011 as 1:45

O estudante Giovanni Conora Silva, de 19 anos, espancado durante uma festa universitária na madrugada de sexta-feira (19) em Bauru, no interior de São Paulo, deve ter alta do Hospital Beneficência Portuguesa na tarde desta segunda-feira (22). Ele teve fraturas na face e também foi atingido na coluna. O espancamento ocorreu numa casa noturna durante uma festa de alunos de vários cursos da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Giovanni cursa odontologia na Universidade de São Paulo.

O jovem ficou dois em observação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e já havia sido transferido para um quarto na manhã desta segunda. Ele deve iniciar fisioterapia intensa na coluna. Segundo o médico Raul Gonçalves de Paula, diretor clínico do hospital, o jovem teve concussão cerebral e fraturas na face. Será preciso esperar o rosto desinchar para que ele seja avaliado e a cirurgia reparadora marcada.     Ninguém sabe ao certo o motivo da briga. Segundo jovens que estavam no evento, o garoto foi agredido na frente de um dos banheiros. “Eu vi só a vitima cheia de sangue, saindo sangue do nariz, da boca”, conta um dos alunos. Ele foi levado ao hospital em estado grave. Os golpes atingiram principalmente a cabeça.

Os pais do estudante viajaram de São Paulo para a cidade do interior e ficaram assustados ao ver o filho. “Em um lado da face dele, o osso foi amassado. O nariz quebrou. A boca está o dobro de tamanho porque inchou para fora e para dentro. O pescoço tem várias marcas de chute”, diz a mãe, Rita de Cássia Conora Silva.

Uma das jovens que estava na festa diz que os seguranças só socorreram a vitima quando o agressor parou de bater. “O moço que agrediu desceu tranquilo pela escada.”

A Polícia Civil vai abrir um inquérito para apurar o caso. Já foram pedidos os exames de corpo de delito da vítima e imagens do sistema de monitoramento da casa noturna. Nenhum representante da boate quis falar sobre o assunto.          

veja também