MENU

'Eu poderia facilmente deixar de atuar', diz Mel Gibson em entrevista

'Eu poderia facilmente deixar de atuar', diz Mel Gibson em entrevista

Atualizado: Sábado, 23 Abril de 2011 as 9:53

Em uma extensa entrevista publicada nesta sexta-feira (22) no site Deadline.com, o ator Mel Gibson, 55, falou abertamente sobre seus recentes problemas na vida pessoal, que ameaçam seu futuro profissional. "Eu poderia facilmente deixar de atuar. Não seria um problema", declarou. "Se eu pudesse fazer aquela escolha outra vez [sobre ser ator], eu teria feito algo diferente", completou mais adiante, ao lamentar as consequências negativas da fama.

A conversa do ator com a jornalista veterana de Hollywood Allison Hope Weiner aconteceu no último dia 18 de abril, no escritório de Gibson na produtora Icon, em Santa Mônica (Califórnia), exatamente um mês depois que ele foi sentenciado a três anos de liberdade condicional - entre outras punições - por admitir que agrediu, em 2010, a ex-namorada Oksana Grigorieva, modelo russa com quem teve uma filha recentemente.

Os meses de disputa judicial entre Gibson e Oksana ganharam contornos escandolosos depois que trechos de uma conversa telefônica entre o ator e sua ex-namorada foram divulgados na internet. Na gravação, que ele classifica como uma "traição pessoal" que "jamais poderia prever", Gibson ameaça e xinga a ex com expressões racistas.

"Eu nunca tratei ninguém mal ou de forma discriminatória por causa de gênero, raça, religião ou sexualidade, e ponto final. Mas eu não culpo alguém por pensar assim [sobre mim], a partir do lixo que ouviram naquelas fitas que vazaram e foram editadas", disse na entrevista à Weiner. "Você precisa colocar tudo aquilo no contexto de irracionalidade, de uma discussão acalorada no auge de uma separação, em que tentava acabar com um relacionamento que não era saudável. Foi um momento terrível e horroroso no tempo, dito a uma pessoa, no intervalo de um dia, e não representa o que eu acredito verdadeiramente ou como tratei as pessoas por toda a minha vida."

Apesar das declarações, o ator diz à entrevistada que não tem tolerado a invasão de sua vida pessoal atraída por episódios como a briga com Oksana, além de problemas com a polícia por dirigir alcoolizado. "Não é da conta de ninguém, minha separação, meu divórcio, nada disso. Está lá, OK, então aconteceu. Quanto aos detalhes, eu queria guardar o pouco que ainda tenho para mim mesmo", disse, acrescentando que "a coisa toda foi terrivelmente humilhante e doloroso para minha família e todos os meus filhos".

Prestes a voltar aos cinemas com "Um novo despertar" ("The beaver", em inglês), projeto dirigido por Jodie Foster em que interpreta um homem que se agarra a um fantoche de castor para superar problemas pessoais, Gibson nega que os escândalos tenham afetado seus trabalhos. Além de "How I spent my summer", já em produção, ele também estuda o convite do roteirista de "Coração valente", Randy Wallace, para trabalhar em um novo filme.

Se as novas propostas escassearem, no entanto, ele garante que não se incomodaria em parar de atuar para poder finalmente dedicar-se a outra de suas paixões - a escrita. "Estou escrevendo três coisas diferentes. Só o que tenho feito esse tempo todo é escrever. Sempre estou escrevendo. Tem sempre uma história sendo cozinhada na minha cabeça."

veja também