MENU

Evangélicos negros se mobilizam em grupos

Evangélicos negros se mobilizam em grupos

Atualizado: Quarta-feira, 19 Novembro de 2008 as 12

Dizer não ao preconceito e valorizar os princípios de igualdade e de amor preconizados pela Bílbia são os principais objetivos dos grupos de conscientização formados por evangélicos negro. Conheça alfunas deles!

GEVANAB - Grupo Evangélico Brasileiro

É um ministério do Projeto Nazaré que nasceu, no Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais na PUC/SP, em meio aos debates sobre o racismo e preconceito que então se realizavam. Sua missão é compartilhar e se colocar à disposição da família evangélica para ajudar no resgate do testemunho de que somos todos - negros, brancos e asiáticos - iguais perante Deus, herdeiro das mesmas promessas do criador e sujeitos à mesma condenação pela sua rejeição.

Hoje, consolidado, com diversas atividades entre elas a programação e difusão do folheto: “Um negro Abençoado na Bíblia” , edição pioneira do GEVANAB, tem sido uma bênção para muitos. 

O trabalho mais recente do grupo foi a publicação do  livro " Os Negros da Bíblia e os do Brasil", abordando a questão racial em uma perspectiva Biblica e denunciando o racismo como uma indignidade que pode estar nos corações de muitos cristãos, uma posição que é incompativél com a Ética da Bíblia.

Então, por que  o GEVANAB? Porque há evidencias que existe, embora de forma diferente de outros países, em alguns setores, um tipo de preconceito, de racismo à brasileira voltado contra negros, nordestinos e judeus. Isto é uma negação do amor doador e universal de Deus, tão bem expresso em João 3.16.   Associação Evangélica Palmares

Criado nos anos oitenta, o grupo vem apoiando diversas iniciativas de novas mobilizações  e  tem desenvolvido um importante acervo de documentos  e literaturas. Um dos seus atuais trabalhos é a tradução do Livro: “Em Além das Raízes: À procura dos negros na Bíblia”, do Rev. William Dwight McKissic -  uma pesquisa própria, levando-nos dos dias de Kunta Kinte até ao nascimento da humanidade. As suas perspectivas exegéticas e históricas lançam luz em importantes considerações para todos crentes negros. O livro se encontra on-line  na página do grupo.

Ministério Azusa

É um projeto de evangelização e desenvolvimento  para a Comunidade Negra brasileira, busca a comunhão interdenominacional e o reavivamento do Senhor Jesus em unidade do Espírito .O nome do projeto é uma referência à rua onde houve o grande reavivamento espiritual há quase um século, no estado da Califórnia  EUA. Do movimento na  rua AZUSA saíram grandes líderes americanos como o Bishop Manso, fundador da maior igreja negra dos Estados Unidos, a Churh of God in Chist – Igreja de Deus em Cristo, responsável pelo maior movimento Black Gospel nos Estados  Unidos. O Ministério Azusa realiza também um grande trabalho com as massas através de show musicais, eventos e encontros. Mais informações no www.azusa.com.br

Sociedade Cultura Missões Quilombo

Em 1988, cem anos após a abolição da escravatura, houve um importante avanço na organização do movimento negro no Brasil, busca das raízes e uma consciência negra. Olhávamos dentro do segmento Evangélico Pentecostal, nada havia de proposta para o povo afro-descendente no sentido de promover um debate bíblico/teológico voltado para a questão racial/negra. Foi quando sentimos a necessidade de nos organizarmos. Depois de várias reuniões e consultas nos reunimos  em uma Assembléia  na Igreja  Pentecostal "O Brasil Para Cristo", com a presença de pastores e lideranças de várias igrejas, fundamos a Sociedade Cultural Missões Quilombo.

Hoje  com o trabalho já  consolidado dentro dessa área de atuação, o grupo vem ampliando seu programa para outras questões e novos problemas contemporâneos, os efeitos da globalização na periferia, exclusão social, os direitos humanos, a moradia e a exclusão digital. Mais informações no www.mquilombo.hpg.com.br

CENACORA - Comissão Ecumênica Nacional de Combate ao Racismo

Vem implantando seus programas: "Gênero e raça" e "A paz da Bíblia, a paz das Igrejas e a paz da ONU". Os projetos ainda dependem da aprovação de recursos das agências doadoras do exterior, mas a Cenacora já desencadeou o processo para a escolha de coordenadores dos dois programas. "Gênero e raça" vai enfocar a questão da mulher, da família, concentrando seus eixos de discussão na violência racial, sexual e física contra a mulher, no ambiente intrafamiliar e fora dele. O programa quer levar esse debate para dentro das igrejas, procurando, assim, uma mudança de atitude das pessoas que dele vierem a participar. O segundo projeto aprovado pela Cenacora concentra olhares em três campanhas básicas: a campanha internacional pela cultura e paz, da ONU; o Programa de Superação da Violência, implementado pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI); e a Campanha da Fraternidade Ecumênica 2000, do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic). Com essa iniciativa, a Cenacora quer envolver as igrejas em atividades comunitárias que gerem paz para todos os cidadãos; quer desenvolver a paciência de ouvir o outro, para entendê-lo; quer incentivar a partilha e redescobrir a solidariedade e o amor ao próximo.

Grupo de Negros da EST

O Grupo de Negros da Escola Superior de Teologia da IECLB é composto por estudantes da graduação e pós-graduação, oriundos da IECLB e de outras igrejas irmãs.

O grupo edita um Boletim Identidade, que tem por objetivo veicular a contribuição destes estudantes e outros colaboradores para a teologia e a Igreja, a partir desta sua característica comum, qual seja, ser afro-descendente.

Ministério de Ações Afirmativas para Afro-descendentes

Oficialmente formado em 2005, tem como propósito somar forças com os demais no cumprimento da missão da Igreja Metodista, que é estar a serviço do povo. Seus objetivos são:

1. Assessorar o bispo e liderança regional nas necessidades relacionadas à temática etno-racial da população afro-brasileira.

2. Desenvolver, propor e coordenar a implantação de programas

de ações afirmativas na região.

3. Propor ações concretas para eliminação de formas de discriminação racial no âmbito da Igreja.

4. Representar a IM na rede de movimentos sociais em defesa da Igualdade Racial e fóruns afins.

5. Ser um centro de referência sobre temática etno-racial, para a comunidade metodista da região.

veja também