MENU

Ex-jogador do Corinthians diz que caso de carro foi 'mal-entendido'

Ex-jogador do Corinthians diz que caso de carro foi 'mal-entendido'

Atualizado: Segunda-feira, 13 Junho de 2011 as 3:36

 O ex-jogador do Corinthians Gilmar de Lima Nascimento, o Gilmar Fubá, de 35 anos, disse nesta segunda-feira (13) que houve um “mal-entendido” no caso de uma caminhonete dele apreendida por policiais das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota). Como há uma queixa de furto do veículo registrada em 2007 em Criciúma, a polícia cogita indiciar o jogador por receptação. Ele afirma, porém, que comprou a caminhonete em 2003.

“Comprei em 2003 e não passei para o meu nome. Estava vindo multa e cobrança no nome do ex-proprietário e, em 2007, como ele não conseguia me achar, deu queixa de furto. Eu levei todos os documentos de compra [ao delegado]”, explicou o jogador. Segundo Fubá, o ex-proprietário virá a São Paulo para resolver o caso. Ele terá que passar os documentos para seu nome e pagar as dívidas do veículo – entre elas, o licenciamento, que não é feito desde 2003.

  O veículo era dirigido neste domingo (12) por um homem que não tinha carteira de motorista, segundo o boletim de ocorrência. O condutor e um colega dele foram parados por policiais da Rota. Dentro do automóvel, havia “documentos do Gilmar e algumas roupas do Corinthians”, segundo o capitão da Polícia Militar Marcelo Marques.

Fubá explica que emprestou a caminhonete a um amigo que iria buscar uma cama de casal que ganhou. “Logo depois, ele volta com a polícia. Eu comecei a rir ainda, porque não devo nada. Fui até a delegacia, apresentei os documentos e fui liberado”, contou. Segundo ele, o carro segue apreendido até que a documentação seja regularizada.

O jogador concorda que errou ao não passar o veículo para seu nome. “O ex-proprietário está certo, estavam vindo multas, era muita dívida. Jogador de futebol está sempre trocando de carro e acabei não passando porque achei que ia trocar logo”, afirmou. Ele diz que ficou chateado com as informações de que responderia por um crime. “Cheguei aqui em casa ontem e minha mulher e meu filho estavam chorando. Ainda bem que todo mundo que veio falar comigo sabe da minha índole”, concluiu.

Um inquérito foi instaurado no 41º Distrito Policial, na Vila Rica. Segundo a polícia, será feito um contato com a delegacia de Criciúma para saber detalhes sobre a queixa de furto. Além de receptação, consta na natureza do boletim de ocorrência “permitir direção de veículo automotor à pessoa não habilitada”. A polícia tem 30 dias para fechar o inquérito e decidir se o jogador irá responder por algo.          

veja também