MENU

Ex-ministra defende que país não pode retroceder no combate a crimes ambientais

Ex-ministra defende que país não pode retroceder no combate a crimes ambientais

Atualizado: Sexta-feira, 16 Maio de 2008 as 12

O Brasil não pode "retroceder" no processo de criminalização da cadeia produtiva que extrai madeira ilegal, afirmou a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva. "Não podemos retroceder na criminalização da cadeia produtiva das áreas embargadas e [deixar de cumprir] a resolução do Conselho Monetário Nacional".

A resolução do conselho prevê que os municípios que não apresentarem seus planos de desenvolvimento sustentável ficarão impedidos de receber financiamentos públicos.

Para a ex-ministra, no lugar da pecuária extrativista, deve-se estimular a pecuária intensiva, "para maior produtividade e a proteção da floresta". "É fundamental que não se mexa nas questões essenciaiss, como a lei de florestas", argumentou.

Marina Silva ressaltou que, depois de anos de discussão, o governo conseguiu aprovar a Lei de Gestão de Florestas Públicas e defendeu que "não podemos voltar atrás".

"Agora temos a concessões de manejo florestal, [temos que] avançar cada vez mais na certificação dos produtos para que tenham mais qualidade ambiental. O entendimento é que muito foi feito, mas temos coisas para fazer e outras que não podemos retroceder", afirmou durante coletiva para explicar os motivos de sua saída do Ministério do Meio Ambiente.

veja também