MENU

Faculdade da USP anuncia retomada das aulas apesar da falta de higiene

Faculdade da USP anuncia retomada das aulas apesar da falta de higiene

Atualizado: Terça-feira, 12 Abril de 2011 as 2:17

A diretoria da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP) emitiu no início da tarde desta terça-feira (12) um comunicado anunciando a retomada das aulas que estavam suspensas por conta da paralisação de cerca de 300 funcionários da limpeza, iniciada na última sexta-feira (8). As aulas serão retomadas já nos períodos vespertino e noturno desta terça-feira.

Na nota, a direção da unidade da USP afirma que "a situação de limpeza dos prédios didáticos da FFLCH decorre da falência da empresa terceirizada União, que não cumpriu seus compromissos trabalhistas com seus servidores". Diz ainda que a decisão extrema de suspender as aulas tinha sido motivada pela preocupação da diretoria em manter condições de higiene numa unidade frequentada diariamente por volta de 11 mil estudantes.

De acordo com a FFLCH, os chefes dos 11 departamentos que compõem a faculdade se reuniram com a direção na manhã desta terça-feira e decidiram retomar as aulas. Eles manifestam solidariedade aos funcionários terceirizados que há dois meses não recebem seus salários.     Lixo pelos corredores

Os estudantes da FFLCH também ficaram sem aula na segunda-feira, quando a diretoria emitiu um comunicado afirmando que, por causa da falta de condições de higiene na unidade, seria impossível manter as aulas.

O vídeo ao lado foi enviado pelo internauta Rodrigo Pereira da Silva, estudante do 4º ano de Letras da FFLCH-USP, ao VC no G1 .

Ele gravou as imagens da sujeira pelos corredores da faculdade quando chegou para a aula, às 18h30 desta segunda-feira.

Os funcionários em greve alegam não ter recebido o salário do mês de março. Muitos alunos pegaram vassouras e sacos de lixo para fazer a limpeza na frente do prédio da faculdade. Os trabalhadores fizeram protesto em frente à reitoria da USP. Luiz Antonio Teixeira, coordenador-adjunto da reitoria , disse que a empresa prestadora de serviços tem dívidas com o governo federal. "Por causa disso nós não podemos pagar a empresa. Também não podemos pagar direto aos funcionários. A empresa não quis nos passar os holetires. Só restou a nós pagarmos em juízo", disse.

A universidade, que rescindirá o contrato com a empresa, diz que efetuou o pagamento em juízo.

De acordo com a USP, outra empresa foi contratada e a situação deverá ser normalizada ainda nesta terça-feira.      

veja também