MENU

Falta de quorum deve adiar definição sobre processo contra deputado do DEM

Falta de quorum deve adiar definição sobre processo contra deputado do DEM

Atualizado: Quarta-feira, 23 Dezembro de 2009 as 12

Uma definição sobre o a permanência ou expulsão do presidente licenciado da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Leonardo Prudente, dos quadros do DEM corre o risco de ficar para janeiro.

Apesar da pressão da Executiva nacional para que o processo disciplinar contra ele seja julgado ainda na noite de hoje, o diretório do partido no DF ainda não conseguiu garantir quorum para a reunião. Apenas nove dos 21 integrantes da executiva regional confirmaram presença.

Para que o processo seja analisado, é preciso que o encontro ocorra com pelo menos 11 integrantes. ''Nós temos a sinalização que não vamos ter quorum. Consegui confirmar a presença de nove integrantes. Ainda estamos fazendo contatos, tentando garantir a análise do caso'', disse o secretário-geral do DEM no DF, Flávio Cury.

Cury negou que exista uma operação para dar sobrevida a Prudente, que foi flagrado em um dos vídeos apresentados pelo ex-secretário de Relações Institucionais Durval Barbosa guardando dinheiro nas meias. O recurso teria origem no suposto esquema de corrupção do governador José Roberto Arruda (sem partido).

Termina no final da tarde de hoje o prazo para que o deputado apresente sua defesa. Se a decisão for pela expulsão, Prudente pode perder a chance de concorrer às eleições de 2010. O deputado reconhece que recebeu dinheiro de Barbosa, mas justificou que foi uma ajuda para a campanha, que não foi declarada à Justiça Eleitoral. Em relação a guardar dinheiro ''nas vestimentas'', alegou que foi por ''questões de segurança, porque não usa pasta''.

''Estou doido para resolver logo este assunto. Tem 15 dias que eu respondo a mesma coisa e espero resolver logo isso. Não temos interesse em deixar nada pendente'', afirmou Cury.

O secretário-geral confirmou que conversou ontem com Arruda, mas sustentou que não tratou do caso de Prudente. Nos bastidores, alguns integrantes do DEM dizem que há um movimento para salvar o presidente da Câmara local.

Um fato que reforça essa estratégia é que o caso foi parar na mão do ex-senador Lindberg Cury, que não tem pretensões para as eleições do ano que vem. Ele assumiu o posto que estava sendo ocupado por Nilo Cerqueira, que saiu após se declarar publicamente favorável à expulsão do deputado.

''Não discuto esta questão [processo de expulsão]. Estou me esforçando para ter a postura mais isenta possível. Conversei com o governador sobre vários assuntos, mas nenhum referente ao Prudente até porque o Arruda nem faz mais parte do partido'', disse.

veja também