MENU

Família feita refém por bandido em Boa Viagem

Família feita refém por bandido em Boa Viagem

Atualizado: Quarta-feira, 5 Janeiro de 2011 as 8:48

Uma família passou por momentos de tensão, na manhã de ontem, quando dois bandidos invadiram o edifício Maria Genita, 178, localizado na avenida Boa Viagem, por volta das 10h30, e a fez refém por cerca de 20 minutos. Nas proximidades do prédio de luxo, diversas pessoas se aglomeravam para observar a movimentação da polícia no local, que tentava prender os suspeitos. Um dos acusados Gilson Gomes da Silva, 20 anos, é ex-detento da Funase. Ele foi capturado pelos PMs no instante que tentava escapar do cerco policial.

Segundo informações da polícia, o comparsa de Gilson, que não foi identificado, chegou a entrar no mesmo apartamento do edifício, durante a madrugada do mesmo dia, pela porta de serviço, levando um notebook, documentos e as chaves da residência. A família nesse momento dormia. De manhã, ele decidiu voltar, desta vez com Gilson. Os dois chegaram ao edifício em um táxi. O motorista, que não será identificado nesta matéria até comprovação da sua participação na investida, informou que a dupla entrou no veículo na praça Joaquim Nabuco, no Centro do Recife, dizendo que ia para a casa da irmã de um deles pegar um televisor de 14 polegadas e uma quantia em dinheiro para pagar a corrida.

De acordo com o taxista, um ficou no carro, enquanto o outro entrou no prédio pela entrada que dá acesso à rua detrás, aproveitando o momento da saída de um morador. Nesse instante, o motorista do táxi disse ter ficado desconfiado. O porteiro percebeu a movimentação estranha e ligou para a polícia. Ao observar a chegada da equipe do Grupo de Ações Táticas Itinerantes (Gati), o bandido, que já estava dentro do apartamento, pois tinha as chaves, fez a família refém (esposa, marido, os filhos trigêmeos e a empregada), trancando-a em um cômodo da casa, por cerca de 20 minutos, depois fugiu. Gilson, que estava no táxi, tentou escapar, mas foi preso já na rua pelos policiais que cercavam o prédio. Ele confessou o crime, mas disse que não sabia o nome do comparsa.

Segundo o delegado de Boa Viagem, João Gustavo, o depoimento do taxista aparenta ser contraditório, pois ele falou que não desconfiou do que estava acontecendo, somente quando chegou no prédio e viu quando um dos “passageiros” entrou aproveitando a saída de um morador. “O taxista diz que pegou os dois na rua. Imagina dois maloqueiros com uma história de que tinha uma irmã em um apartamento de luxo em Boa Viagem. Eu não posso fazer juízo de valor, mas é muito estranho”, comentou, acrescentando que foi descartada facilitação de funcionários do prédio na investida. Dentro do táxi foi encontrada droga e uma quantia em dinheiro, que o taxista diz não ser dele. “Eu trabalho há 13 anos e é a primeira vez que isso acontece”, assegurou o motorista, que foi detido e está sendo investigado. Os policiais realizaram buscas em todos os 48 apartamentos distribuídos nos 24 andares, em um edifício em obras ao lado do Maria Genita, além de um terreno baldio nas proximidades, mas não conseguiram encontrar o segundo suspeito.

O presidente da Associação de Indústrias e Hotéis de Pernambuco (ABIH-PE), José Otávio Meira Lins, que também é síndico do prédio, falou que as imagens do circuito interno de vigilância já foram entregues ao delegado João Gustavo, e nelas foi registrada a ação dos bandidos. Ele argumentou que a construção ao lado pode ter facilitado a entrada do bandido na primeira investida, pois não há imagens da passagem do suspeito pelas entradas onde existem câmeras de segurança. Segundo ele, a primeira imagem em que o bandido aparece foi registrada por volta da 0h45, na qual ele é visto com a bolsa do notebook. “Ele deve ter entrado no apartamento pela área de serviço, furtando o notebook e levando as chaves da casa para voltar depois”. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Boa Viagem. Gilson foi encaminhado para o Centro de Triagem de Abreu e Lima.

veja também