MENU

Família protesta contra indiciamento de guarda municipal em Salvador

Família protesta contra indiciamento de guarda municipal em Salvador

Atualizado: Quarta-feira, 24 Agosto de 2011 as 10:06

Cerca de 60 pessoas estão reunidas nesta quarta-feira (24) na Praça da Piedade, em Salvador, em defesa do guarda municipal que está preso desde o dia 20 de julho, suspeito de ter raptado e matado uma adolescente de 16 anos, no distrito de Vila de Abrantes, em Camaçari, região metropolitana da capital. De acordo com a técnica de enfermagem Irailva Lima da Conceição, mulher do suspeito, familiares, amigos da comunidade e colegas de trabalho participam do protesto, que ocorre em frente à sede da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA). No domingo (21) , os familiares se reuniram pela primeira vez pedindo a liberdade do guarda durante caminhada no bairro do Curuzu, onde a família mora.

De acordo com o Ministério Público da Bahia (MP-BA), em Camaçari, o inquérito do delegado responsável pelo caso, Marcos Tebaldi, da 26° DT, foi recebido pelo órgão no fim da tarde de terça-feira (23). A assessoria de comunicação da Polícia Civil afirmou para o G1 na segunda-feira (22) que o delegado concluiu o inquérito e indiciou o guarda municipal como autor do crime. Segundo assessoria, o delegado não quer se pronunciar sobre o caso. Em posse do MP, um promotor deverá analisar o inquérito para decidir se irá denunciar o guarda municipal à Justiça.   A prova contra o guarda, segundo a polícia, é que o namorado da vítima observou diversas fotografias e apontou a imagem dele como autor. O namorado acompanhava Adriani Melo de Jesus, 16 anos, na noite de 28 de junho de 2011, quando ocorreu o rapto. O corpo da jovem foi encontrado com três tiros no dia seguinte, em uma estrada vicinal da cidade. 

A família contesta a acusação, alegando que o guarda municipal deixou o plantão pela manhã e passou o resto do dia no bairro do Curuzu, onde mora, com a família. “Ele estava aqui, estávamos comemorando São Pedro, como acontece todo ano. Deve ter uma coisa muito grande por detrás disso, meu marido é inocente”, disse a esposa. “E o verdadeiro culpado vai ficar solto? O retrato falado é totalmente diferente, não condiz com a imagem dele. Esta prisão dele é totalmente incorreta, porque até o DNA, que nós estávamos esperando, com certeza tiraria a prova de que ele não tem nada a ver", completa.

O guarda municipal tem 44 anos, é casado e mora com seus três filhos. A prisão temporária e a prisão preventiva foram concedidas pela juíza Mariana Deiró da 1ª Vara Crime de Camaçari.

Crime

Segundo a família, Adriane voltava a pé da casa de uma amiga, com o namorado em Vila de Abrantes. Quando passavam em frente a um posto de combustíveis, um carro preto parou. Um homem armado desceu, obrigou a adolescente a entrar no carro e mandou o namorado dela fugir. No dia seguinte, Adriane foi encontrada morta com três tiros em um matagal próximo à Estrada do Coco.  

veja também