Favela da Rocinha vai ser a próxima

Favela da Rocinha vai ser a próxima

Atualizado: Segunda-feira, 6 Dezembro de 2010 as 9:12

O secretário de segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, afirmou que a ocupação da favela da Rocinha, na Zona Sul da cidade, está confirmada e está sendo planejada com responsabilidade.

N a última semana, o governo informou que a pacificação das favelas da Rocinha e do Vidigal será uma das prioridades na luta contra o tráfico de entorpecentes. Segundo Beltrame, a implantação de uma UPP precisa ser muito cautelosa.

Allan Turnowski, chefe da Polícia Civil no Rio de Janeiro, informou que a corporação já tem equipes táticas e com conhecimento suficiente para invadir as duas favelas.

A Polícia Militar também diz estar pronta para a operação. O comandante do Batalhão de PM do Leblon, tenente-coronel Carlos Roberto Garcia, responsável pelo patrulhamento na favela da Rocinha, afirmou que a corporação tem informações sobre traficantes e pontos de vendas de droga em toda a região.

Estimativas apontam que mais de 200 fuzis estejam em posse de traficantes, só na Rocinha.

Nos últimos dias, com a ocupação do Complexo do Alemão, a quantidade de informações recebidas pelo Batalhão por meio do Disque Denúncia sobre a atuação dos criminosos na Rocinha e no Vidigal teve aumento de mais de 200%.

Mais três toneladas de maconha apreendidas

Com ajuda de cães da Polícia Militar fluminense, policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) encontraram, na manhã de ontem, cerca de três toneladas de maconha na Favela da Fazendinha, no conjunto do Alemão, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

A droga, localizada após uma denúncia anônima, estava em um muro concretado de uma residência em construção dentro da comunidade.

No sábado, o governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e o ministro da Defesa, Nelson Jobim, anunciaram a formação de uma Força de Pacificação, que atuará no Rio de Janeiro por tempo indeterminado.

O objetivo dessa organização, que será comandada pelo Exército, é promover a manutenção da ordem no Estado até que as Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs) sejam instaladas. Além do Complexo do Alemão, a Força deverá atuar também no Complexo da Penha.

– É importante deixar claro que o comando é do Exército, sendo que os efetivos estaduais, civis e militares terão seus comandantes intermediários – disse Jobim.

De acordo com Jobim, o Comando Militar do Leste deverá escolher o comandante da operação. Nessa etapa, a força será integrada por dois efetivos do qual fazem parte, em primeiro lugar, os militares, cuja responsabilidade é de fazer o patrulhamento, revista e prisão em flagrante; e, em segundo, pelas polícias Civil e Militar, que atuam nas buscas e apreensões.    

veja também