MENU

Federação inglesa nomeia juiz para investigar denúncias contra Ricardo Teixeira

Federação inglesa nomeia juiz para investigar denúncias contra Ricardo Teixeira

Atualizado: Sexta-feira, 13 Maio de 2011 as 10:02

A Federação de Futebol da Inglaterra nomeou um juiz da Suprema Corte britânica para analisar as acusações do ex-presidente da entidade, David Triesman, de que teria recebido pedidos de propinas de membros do comitê executivo da Fifa para apoiar a candidatura do país para sediar a Copa do Mundo de 2018.

Entre os acusados por Triesman está o brasileiro Ricardo Teixeira, presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), que negou a acusação e afirmou que pretende processar Triesman.

As declarações do presidente da federação inglesa foram feitas durante um depoimento no Parlamento britânico na terça-feira.

O juiz James Dingemans, nomeado pela federação, deve analisar a documentação fornecida pela federação e interrogar pessoas ligadas ao caso.

Ele pretende apresentar seu relatório sobre o caso para a federação inglesa e para a Fifa no dia 27 de maio.

'O que você tem para mim?'

Segundo Triesman, que além de presidir a federação era também o presidente do comitê da candidatura da Inglaterra no ano passado, Teixeira dito a ele: "Venha e me diga o que você tem para mim", no que ele entendeu como um pedido de algo em troca de seu voto a favor da Inglaterra.

Além de Teixeira, ele acusou outros três presidentes de federações de futebol de tentarem vender seus votos: Jack Warner (Concacaf, a confederação para a América Central, América do Norte e Caribe), Nicolas Leoz (Conmebol, a confederação sul-americana) e Worawi Makudi (da federação da Tailândia).

Todos eles são integrantes do comitê executivo da Fifa que escolheu as sedes das Copas de 2018 e 2022.

A Inglaterra recebeu apenas dois dos 22 votos no processo de seleção que acabou escolhendo a Rússia como sede da Copa de 2018.

Inquérito

O depoimento de Triesman no Parlamento era parte de um inquérito aberto pelo Departamento de Cultura, Mídia e Esporte do governo britânico. O órgão quer entender por que a Inglaterra perdeu a disputa para ser sede da Copa de 2018.

O dirigente inglês admitiu que deveria ter se manifestado sobre os pedidos de propina imediatamente, mas alegou que suas acusações não seriam ouvidas na época. Ele disse que temia que as revelações pudessem prejudicar a candidatura inglesa.

A Fifa manifestou-se imediatamente sobre as declarações. O presidente da entidade máxima do futebol, Sepp Blatter, prometeu que agirá imediatamente se houver qualquer indício de má conduta dos integrantes do seu comitê executivo.

"Eu fiquei chocado [ao saber]... mas é preciso que se veja as provas", disse Blatter em Zurique, enfatizando que os membros do comitê executivo da Fifa não escolhidos pelo mesmo Congresso que o elege. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

veja também