MENU

Filho de Eike Batista atropelou em via de 110km/h

Filho de Eike Batista atropelou em via de 110km/h

Atualizado: Segunda-feira, 19 Março de 2012 as 11:11

A velocidade máxima permitida na Rodovia Washington Luís (BR-040), na altura de Xerém, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, onde, na noite de sábado (17), o empresário Thor de Oliveira Fuhrken Batista, filho do também empresário Eike Batista,atropelou e matou um ciclista que cruzava a rodovia, é de 110 km/h. A informação é da Concer, a concessionária que administra a via.

O corpo do ajudante de caminhão Wanderson Pereira dos Santos, vítima do atropelamento, foi enterrado na tarde de domingo (18) no Cemitério de Xerém. De acordo com a família da vítima, o enterro foi pago por Thor Batista.

Perícia concluída

A Polícia Civil investiga as circunstâncias do atropelamento. O caso foi registrado na 61ª Delegacia de Polícia (Xerém) como homicídio culposo provocado por atropelamento. Segundo informou na manhã desta segunda-feira (19) o chefe de plantão na delegacia, a Polícia Civil já concluiu a perícia no local do acidente e no carro de Thor. O resultado dessa perícia, no entanto, ainda não foi divulgado.

Procurada pelo G1, a assessoria do grupo EBX, ainda não se pronunciou sobre o caso nesta manhã.

Thor foi intimado a depor na próxima quinta-feira (22) e, segundo a polícia, ele pode ser indiciado. Além dele, a tia da vítima também deve ser ouvida nos próximos dias.

De acordo com uma testemunha, Wanderson foi atropelado quando atravessava a via. Ele estava de bicicleta na rodovia. Segundo a polícia, a vítima foi atingida pelo carro do filho do bilionário, uma Mercedes-Benz SLR McLaren prata, placa EIK-0063, ano 2006. Emnota divulgada às 13h25 de domingo, o Grupo EBX, de Eike Batista, lamentou o fato e informou que está prestando todo o apoio à vítima.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que Thor e o amigo que estava no carro com ele procuraram um posto policial a 3 km do local do acidente. Com escoriações no braço e no rosto, Thor pediu socorro e relatou o caso. Segundo a PRF, os dois foram submetidos ao teste do bafômetro, não sendo verificada a presença de álcool em ambos. Ainda de acordo com a PRF, Thor também estava acompanhado de um segurança.

Família deve pedir indenização

O advogado da família, Cleber Carvalho, informou no domingo (18) que os parentes da vítima pretendem ir à Justiça para pedir indenização por danos morais e materiais. Segundo ele, houve irregularidades na perícia após o acidente.

"Vamos colocar o pessoal que trabalha conosco para investigar a parte de frenagem do veículo, qual foi o tamanho da frenagem, para que a gente possa ter noção de qual era a velocidade do veículo, porque pelo corpo do Wanderson a gente verifica que a velocidade não podia ser pouca, houve muito dilaceramento do corpo", disse o advogado.

No Instituto Médico Legal, Maria Vicentina Pereira, tia de Wanderson, afirmou que o jovem foi atingido no acostamento. Segundo ela, Wanderson sempre passava pelo local e precisava atravessar a rodovia para chegar em casa, mas não tinha o costume de cruzar a via no ponto do acidente. "Ele foi atropelado de frente", disse.

veja também