MENU

Foco na qualidade de vida: o que é educação financeira sustentável?

Foco na qualidade de vida: o que é educação financeira sustentável?

Atualizado: Quinta-feira, 7 Janeiro de 2010 as 12

Qual é o objetivo da educação financeira? Ensinar como gastar dentro do orçamento, para que sobre dinheiro no final do mês e não sobre mês no final do salário. Além disso, ser educado financeiramente significa saber usar o dinheiro que sobra, pagando dívidas, investindo e formando um patrimônio.

No entanto, uma outra definição do termo vem aparecendo, focando, além da segurança financeira, a qualidade de vida: Educação Financeira Sustentável!

O que significa?

De acordo com Aron Belinky, secretário-executivo da Ecopress - agência de notícias ambientais -, o principal objetivo da educação financeira sustentável é proporcionar qualidade de vida, garantindo que tenhamos - hoje e no futuro - a segurança material e as condições para uma vida feliz, com realização pessoal e profissional.

''O objetivo é mudar o pensamento de acumular cada vez mais dinheiro para a idéia de viver cada vez melhor'', afirma Belinky.

Para ele, a grande confusão está em ver o dinheiro como objetivo ao invés de vê-lo como instrumento. ''O importante é que a pessoa priorize a satisfação ao consumo. Viver bem não significa comprar mais um celular ou outro carro, e sim aproveitar a vida'', ensina.

Princípios da educação financeira sustentável

Segundo Belinky, o planejamento financeiro é essencial para garantir um futuro, ser previdente e evitar situações de riscos e carência. ''No entanto, ter mais dinheiro não significa ser mais feliz ou ter mais qualidade de vida. O importante é planejar-se para ter o suficiente, sem consumir com exagero e desperdício''.

O especialista enumera três princípios básicos para ser educado financeiramente e de uma forma sustentável:

    * Leve em conta a real satisfação que tem com cada coisa que faz com o dinheiro;

    * Respeite o tempo que você trabalhou para ganhar e avalie a necessidade de gastar;

    * Evite o desperdício e acúmulo desnecessário.

Na prática

Para Belinky, o pensamento sustentável deve ir além do discurso. Segundo ele, grande parte das pessoas ainda está um passo atrás nesta questão. ''Eles perceberam o problema, mas ainda não tomaram atitudes para mudar''.

Para garantir o futuro das próximas gerações, Aron Belinky explica que é necessário ensinar pelo exemplo. ''Não adianta falar que é importante se não praticar''.

Segundo ele, uma forma de exercitar o raciocínio sustentável é sempre pensar antes de comprar: ''O que esse gasto vai produzir de bom?''

Se a conclusão for que a compra seria apenas um capricho, e não uma necessidade, por que não investir esse dinheiro de forma sustentável?

Ações de empresas responsáveis ou fundos de investimentos sustentáveis têm apresentado rentabilidade igual ou superior à média do mercado. ''No entanto, é necessária uma visão de longo prazo, pois a tendência é de que esses investimentos tenham boa performance no futuro'', finaliza.

Por Patricia Alves

veja também