MENU

Fortalezenses começam a sentir prejuízo ocasionado pelas greves

Fortalezenses começam a sentir prejuízo ocasionado pelas greves

Atualizado: Quinta-feira, 9 Junho de 2011 as 9:18

Foi anunciada paralisação de nova categoria de servidores, na manhã desta quinta-feira, em Fortaleza, capital do Ceará. Desta vez, foram os trabalhadores da Usina de Asfalto e funcionários da Fábrica de Pré-moldados que entraram em greve. Com isso, sobe para cinco o número de categorias paralisadas, ressaltando que ainda existem outras duas em estado de greve.

E as paralisações já começam a ocasionar prejuízos à população de Fortaleza. Cerca de 230 mil alunos da rede municipal de ensino, por exemplo, estão sem aulas há 44 dias. O atendimentos básico de saúde, como os realizados por meio do Programa Saúde da Família (PSF), também se encontram comprometidos por paralisação.     Além de reivindicações salariais, algumas categorias pedem ainda melhores condições de trabalho e denunciam assédio moral. Veja quais são os serviços prejudicados: Funcionários da Secretaria de Administração do Município (SAM) estão em estado de greve.

Servidores do Instituto da Previdência Municipal (IPM) estão em estado de greve. Deixando os funcionário públicos sem atendimento de saúde.

Funcionários da Usina de Asfalto de Fortaleza e da Fábrica de Pré-moldados entraram em greve hoje. Portanto, o estado do asfalto de Fortaleza pode piorar, já que a Operação Tapa-Buraco deve ser paralisada também.

Agentes de trânsito estão em estado de greve. Deixando a cidade de Fortaleza com a fiscalização de trânsito comprometida. Servidores do Programa Saúde da Família (PSF), odontólogos e enfermeiros.

Servidores do Instituto Doutor José Frota (IJF), principal hospital de emergência da capital, estão em estado de greve. Funcionários do Samu estão em estado de greve.

E para finalizar, a greve dos professores. Que além do prejuízo aos alunos, tem gerado conflitos entre a categoria e o poder público.            

veja também