MENU

Fraude com fantasmas no Rio tem custo de R$ 300 mil aos cofres

Fraude com fantasmas no Rio tem custo de R$ 300 mil aos cofres

Atualizado: Sexta-feira, 1 Julho de 2011 as 1:35

Duas mulheres, funcionárias de uma empresa contratada pela Secretaria Estadual de Saúde do Rio, são as principais suspeitas de inserir os nomes de 44 pessoas na lista de pagamento da secretaria. O custo da fraude para os cofres públicos pode chegar a R$ 300 mil.

Elas foram presas, na manhã de hoje, nos bairros de Anchieta e Jacarepaguá, zona oeste do Rio, por policiais da Draco (Delegacia de Repressão ao Crime Organizado).

Os 44 "fantasmas" constavam da folha de pagamento da secretaria desde fevereiro.

Essas pessoas emprestavam a conta e no dia de receber o salário retiravam todo o vencimento pago pelo Estado.

Policiais da Secretaria de Segurança Publica do Rio e da Draco tentam cumprir na manhã desta sexta-feira 31 mandados de prisão contra a quadrilha. Ao menos, 20 pessoas foram presas.

A operação Saldo Zero, como está sendo chamada, descobriu que os integrantes da quadrilha receberam os salários de março, abril e maio.

A investigação começou a partir de suspeitas da Secretaria Estadual de Saúde do Rio, que passou as informações à Secretaria de Segurança Pública.

DADOS FALSOS

A quadrilha, segundo as investigações, que inseriu dados falsos na folha de pagamento do Estado, usaram os nomes de 29 pessoas em um primeiro momento.

"O que estava acontecendo era um efeito cascata. Depois encontramos mais 15 e esta semana foram mais dois que passariam a receber salários a partir do próximo mês", afirmou o delegado Fábio Galvão, subsecretário de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Rio.

As 44 pessoas que recebiam salários da Secretaria Estadual de Saúde forneciam as suas contas bancárias e recebiam vencimentos de R$ 1.365. Desse total, R$ 800 eram repassados para uma das servidoras responsável por inserir os dados.

A polícia descobriu 10 pessoas de uma mesma família que foram beneficiadas pelo esquema.

veja também