MENU

Frente parlamentar organiza ida ao Japão para agilizar ajuda a brasileiros

Frente parlamentar organiza ida ao Japão para agilizar ajuda a brasileiros

Atualizado: Domingo, 13 Março de 2011 as 8:57

Os deputados da Frente Parlamentar Brasil-Japão planejam embarcar para o Japão até domingo (13) a fim de organizar a ajuda aos brasileiros que sofreram efeitos do terremoto que atingiu o país.

A frente reúne os cinco parlamentares de origem nipônica da Câmara - Keiko Ota (PSB-SP), Junji Abe (DEM-SP), Luiz Nishimori (PSDB-PR), Hidekazu Takayama (PSC-PR) e Walter Iihoshi (DEM-SP).

O Japão foi atingido por um tremor de magnitude 8,9 na escala Richter e por um tsunami nesta sexta-feira, que deixou mais de 300 mortos e centenas de desaparecidos (veja vídeo ao lado).

O líder da frente parlamentar, Hidekazu Takayama (PSC-PR), disse que, em outro terremoto no país, há dez anos, os então integrantes do grupo de deputados conseguiram viabilizar toneladas de doações de parentes e associações japonesas no Brasil aos brasileiros que viviam no país asiático.Segundo Takayama, a intenção é seguir para as cidades nos arredores de Tóquio, onde vivem cerca de 300 mil brasileiros.

Na tarde desta sexta, após conversa com o embaixador do Japão no Brasil, o deputado disse que a ideia é que o grupo desembarque em Nagoia, a cerca de 350 km de Tóquio. A cidade teve o aeroporto reaberto no final da tarde desta sexta (sábado no Japão).

“Temos muitos amigos na região de Tóquio e estamos muito preocupados. Vamos organizar a comitiva para chegar lá o quanto antes para prestar o nosso apoio”, afirmou.

Orações

A deputada Keiko Ota (PSB-SP) pediu que os brasileiros rezem pelo Japão. “Nesse momento, peço ao povo brasileiro que faça uma corrente de orações, como quando aconteceu com meu filho”, disse. A deputada teve o filho, Ives, de 8 anos, morto após ter sido sequestrado, em 1997.

Keiko disse ter um sobrinho no Japão, com o qual a família já entrou em contato. “O lugar em que ele está é na área central do Japão. Na área do terremoto [região nordeste do país] tem poucos brasileiros”, afirmou.

Ela disse também que tem recebido ligações de descendentes de japoneses à procura de ajuda. A deputada tem orientado as pessoas a procurar os consulados japoneses no Brasil.  

veja também