MENU

Funcionária disse ter sentido cheiro de gás no restaurante

Funcionária disse ter sentido cheiro de gás no restaurante

Atualizado: Quinta-feira, 13 Outubro de 2011 as 1:07

Márcio Antonio com os braços enfaixados; ele

passava pelo local e desmaiou com a explosão

(Foto: Lilian Quaino/G1)

  À procura de notícias da mulher Daniele no Hospital Souza Aguiar, no Centro do Rio, Edvaldo Santos da Silva contou na manhã desta quinta-feira (13) que ela é funcionária do restaurante onde houve uma explosão que matou três pessoas. Segundo Edvaldo, a mulher ligou para ele dizendo que estava sentindo forte cheiro de gás no local.

Segundo ela disse, os funcionários e o dono do restaurante estavam decidindo se iriam fechar a casa e ir embora. Ela desligou e, dois minutos depois, segundo contou, Edvaldo recebeu uma ligação dizendo que havia acontecido uma explosão e a mulher estava ferida.

"Mas graças a Deus [ela] está sendo atendida", disse Edvaldo na porta do hospital.

A Secretaria municipal de Saúde informou que Daniele está sendo operada e seu estado é delicado. Ela teve fratura de tórax e de fêmur.

Alguns feridos já liberados contaram os momentos de pavor que viveram.

Márcio Antonio de Souza disse que estava passando em frente ao restaurante quando ouviu a explosão e sentiu que algo o atingiu. Ele desmaiou e acordou no hospital. Com escoriações nos braços e cortes no rosto, ele disse que achava que o pior ia acontecer com ele e estava muito assustado.

"Nunca vi nada igual", disse ele, elogiando o atendimento rápido que teve no hospital.

Luiz Claudio passava pela rua quando a explosão 

atirou no chão (Foto: Lilian Quaino/G1)

  Luiz Cláudio Tavares também estava passando pelo local quando ouviu a explosão e, segundo contou, voou pelos ares.

"Achei que o  mundo ia acabar", disse ele saindo do Souza Aguiar, com escoriações nos braços e cortes nos pés. Ele também disse  ter tido um atendimento rápido.

No Hospital Souza Aquiar, no Centro da cidade, próximo ao local da explosão, deram entrada 16 pessoas feridas. Dessas, sete estão em estado grave e duas estão sendo operadas. Um ferido foi transferido para o Miguel Couto, na Zona Sul, para não sobrecarregar o Souza Aguiar, segundo informou a Secretaria municipal de Saúde.            

veja também