MENU

General sobrevoa Alemão e mostra presença das Forças de Paz no Rio

General sobrevoa Alemão e mostra presença das Forças de Paz no Rio

Atualizado: Quarta-feira, 29 Dezembro de 2010 as 3:29

O general Fernando Sardenberg, comandante das Forças de Paz nas ocupações do Conjunto de Favelas do Alemão e da Penha, na Zona Norte do Rio, fez um sobrevoo de helicóptero, na terça-feira (28), acompanhado do comentarista do RJTV, Rodrigo Pimentel, para mostrar a presença dos militares em vários pontos das comunidades. Ele rebateu a hipótese de que teria havido redução no efetivo de algumas localidades.

"Os dados que nós temos é que são 22 comunidades no Alemão. Mas nós temos bases estabelecidas no interior de todas as comunidades, tanto aqui do Alemão quanto da Penha. Nós temos no Alemão 18 pontos fixos, que são, inclusive, itinerantes; e da mesma forma, na Penha, nós temos 15 bases. Nós estamos agora dentro do conjunto de favelas da Penha, nos dirigindo para as comunidades Chatuba, Caracol e Caixa d´Água", disse.

O general chama a atenção para uma casa verde, localizada num ponto estratégico da favela, que antes da ocupação policial era a residência do traficante Mica, apontado pela polícia como chefe do tráfico no morro da Caixa d´Água.

Paredão era base de traficantes

"Nós estamos lá com um pelotão e elementos da Polícia Militar", acrescentou o oficial, que mostra ainda um paredão que também era usado pelos traficantes armados de fuzis devido à visão privilegiada de toda a comunidade.

Sobre a presença de militares em uma área de mata, Sardenberg explica que naquela área as equipes ainda fazem buscas para localizar possíveis armas escondidas pelos criminosos.

"Isso ainda é uma preocupação (armas escondidas). E essa posição permite acima de tudo uma observação muito boa em toda essa parte sudoeste da zona de ação", afirma o general, que aponta uma pedra, também de um ponto estratégico, onde estão posicionados atiradores de elite.

"A missão deles é de observação e eventualmente proteção a alguma ação contra o nosso pessoal que está lá embaixo”, disse.

O comentarista ressalta que no Ano Novo, durante as festas da virada, haverá um reforço da brigada para garantir a segurança e a tranquilidade dos moradores nas comunidades.

Em nota, Força nega redução no efetivo

Em nota, através de boletim em nome da Força de Pacificação, a assessoria de comunicação negou que tenha havido redução no efetivo dos militares na ocupação das comunidades do Alemão e da Penha.

"Tem sido veiculado em vários órgãos da mídia que alguns moradores dos Complexos do Alemão e da Vila Cruzeiro estão infomando que a presença de integrantes da Força de Pacificação na área esta diminuindo. Sobre isso, a Seção de Comunicação Social da Força de Pacificação informa o seguinte:

- o efetivo da Força de Pacificação empregado na área é de quase 2.000 (dois mil) homens; sendo 1650 (mil seiscentos e cinquenta) do Exército Brasileiro, 240 (duzentos e quarenta) da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e 30 (trinta) da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro. Estes homens estão integrados, colaborando para a pacificação da área, empregando os talentos e as características de cada instituição;

- a segunda fase, que agora está em operação, passou a ser mais dinâmica. Os pontos estáticos que ficavam no entorno da área, fazendo o cerco e o isolamento, foram substituídos por partrulhas móveis, no interior das ruas e das vielas dos dois complexos. Por isso, as pessoas que passam pelos grandes eixos deixam de perceber a presença maior da Força de Pacificação, devido à fluidez do emprego da tropa;

- a colaboração da população tem sido muito positiva. As informações prestadas contribuem para a apreensão de vários materiais ilícitos, possibilitando que os serviços do Estado se façam mais presentes;

- as pessoas podem entrar em contato com a Força de Pacificação por intermédio do seguinte endereço: [email protected] O sigilo é garantido e absoluto.", conclui a nota.

veja também