MENU

George Clooney é um despedidor profissional em 'Amor sem escalas'

George Clooney é um despedidor profissional em 'Amor sem escalas'

Atualizado: Sexta-feira, 22 Janeiro de 2010 as 12

Existem filmes que nos encantam pela originalidade do roteiro, pelos diálogos espirituosos, pela produção cuidadosa, pela direção criativa, pelo ótimo desempenho do seu protagonista... Saímos do cinema e pensamos no que vimos por um bom tempo.

Dirigido por Jason Reitman, o mesmo de Obrigado por fumar (2005) e Juno (2008), Amor sem escalas pertence a este seleto clube de filmes e é tido com um dos fortes candidatos ao Oscar. Na bagagem, já traz o prêmio de melhor filme pelo National Board of Reviewe o Globo de Ouro de melhor roteiro.

Um homem. Um aeroporto. Uma tarefa difícil (e constrangedora, quase sempre). Um estilo de vida. Em Up in the air, título original, George Clooney é Ryan Bingham, um sujeito que vive praticamente em aeroportos, aviões e hotéis, à medida que viaja por todo os Estados Unidos demitindo pessoas.

Ele pertence a uma empresa terceirizada que é contratada para despedir empregados quando há cortes de funcionários. Despedidor profissional, o executivo Ryan vive solitário por escolha, livre de relacionamentos evita até os familiares) ou bens materiais.

O maior objetivo do personagem - cínico e distante - é atingir dez milhões de milhas no programa de milhagem de sua companhia aérea favorita. Numa das missões, ele conhece uma mulher- viajante (Vera Farmiga), com quem começa uma curiosa relação casual.

A amante casual acaba por interferir no habitual estilo de vida de Ryan, assim como a decisão da empresa em despedir pessoas pela internet, em videoconferências, como meio de reduzir custos, o que poderá deixá-lo em terra, longe dos aviões.

Mistura de gêneros

Neste retrato de uma vida humana aparentemente improvável, Amor sem escalas consegue ser, ao mesmo tempo, um drama empresarial docemente melancólico, um road movie onde a estrada é o céu e uma comédia romântica para adultos.

É interessante observar como o tom sarcástico inicial do filme vai, aos poucos, cedendo espaço para uma atmosfera mais enérgica e amargurada. E George Clooney, menos cool e mais caloroso, interpreta o seu melhor papel.

Por: Hagamenon Brito

veja também