MENU

Governo de SP nega que catapora esteja fora de controle no estado

Governo de SP nega que catapora esteja fora de controle no estado

Atualizado: Sexta-feira, 1 Outubro de 2010 as 12:32

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo emitiu nota afirmando que a catapora está controlada no estado de São Paulo. Segundo a pasta, não há motivo para alarme. De acordo com o órgão, o surto é restrito a algumas cidades.

Americana, no interior, registrou 381 casos neste ano, contra 163 em 2009. Em Campinas, são 134 contra 48 no ano passado. Na capital, este ano já são 583 casos, 49 a mais que em todo o ano passado. Em todo o estado são quase 3 mil casos a mais. Em Taubaté, o número de casos dobrou de agosto para setembro. Em Rio Preto, já são 847 casos este ano, quatro vezes mais do que no ano passado.

A varicela, ou catapora, atinge principalmente menores de 10 anos, mas os adultos também podem pegar. Ela geralmente se manifesta nesse período do ano por causa da chuva e da variação da temperatura. As pessoas ficam em locais fechados, o que facilita a transmissão, que é pelo ar ou pela saliva.

Entre os sintomas estão febre, dor no corpo e as pintas vermelhas, famosas por coçar muito. O corpo de uma criança pode chegar a ter duas mil lesões, que duram até duas semanas. O tratamento é simples: remédio para a febre, produtos para a pele e repouso, mas precisa isolar o paciente, porque a doença é muito contagiosa.   Vacinação

O Governo do Estado só vacina as crianças que estão em creches ou escolas públicas que registraram casos da doença. A vacina só existe na rede particular e custa caro. Em uma maternidade da Bela Vista, a dose custa R$ 145. Uma alternativa é a vacina tetraviral, contra quatro doenças: sarampo, caxumba, rubéola e catapora, que custa em torno de R$ 200.

A Secretaria de Estado da Saúde informa que a vacina contra a catapora também é aplicada gratuitamente nos CRIES (Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais), para grupos de risco pré-definidos como bebês prematuros e pessoas imunodeprimidas, entre outras. A relação dos Cries está disponível no site do Centro de Vigilância Epidemiológica, por meio do link Imunização .       Postado por: Guilherme Pilão

veja também